Caracterização fitofisionômica das restingas da Reserva Biológica de Santa Isabel, litoral norte de Sergipe

Autores

  • Eduardo Vinícius Silva Oliveira Universidade Federal de Sergipe
  • Myrna Friederichs Landim Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

Unidades de conservação, comunidades vegetais, formação

Resumo

Este trabalho teve por objetivo caracterizar as fitofisionomias ocorrentes na Reserva Biológica (REBIO) de Santa Isabel, localizada no litoral norte de Sergipe. As fitofisionomias encontradas nesta REBIO são similares às de outras áreas de restinga da Região Nordeste do Brasil, sendo observadas sete fitofisionomias distintas, determinadas principalmente pela natureza do substrato e pela distância com o mar. Dessa forma, foi possível dividir duas formações básicas, a primeira praial-campestre: campo aberto não inundável (CANI), campo aberto inundável (CAI), campo fechado inundável (CFI) e campo fechado não inundável (CFNI). Já a segunda formação, restinga: fruticeto aberto não inundável (FANI), fruticeto fechado não inundável (FFNI) e floresta não inundável (FNI).

Referências

1. Rizinni AT. Tratado de fitogeografia do Brasil: aspectos ecológicos, sociológicos, e florísticos. v. 2. Rio de Janeiro: Âmbito Cultural; 746 p., 1997.
2. Freire MSB. Levantamento florístico do Parque Estadual das Dunas de Natal. Acta Botânica Brasílica. 1990; 4(2):41-59.
3. Falkenberg DB. Aspectos da flora e da vegetação secundária da restinga de Santa Catarina, sul do brasil. Insula. 1999; 28:1-30.
4. Oliveira-Filho AT, Carvalho DA. Florística e fisionomia da vegetação no extremo norte do litoral da Paraíba. Revista Brasileira de Botânica. 1993; 16(1):115- 130.
5. Assis AM, Thomaz LD, Pereira OJ. Florística de um trecho de floresta de Restinga no município de Guarapari, Espírito Santo, Brasil. Acta Botânica Brasílica. 2004; 18(1):191-201.
6. Coutinho LM. O conceito de bioma. Acta Botânica Brasílica. 2006; 20(1):13-23.
7. Santos-Filho FS, Almeida Jr. EB, Soares CJRS, Zickel CS. Fisionomias das restingas do Delta do Parnaíba, Nordeste, Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física. 2010; 3:218-227.
8. Almeida Jr., E.B,;Zickel, C.S.; Pimentel, R.M.M. Caracterização e espectro biológico da vegetação do litoral arenoso do Rio Grande do Norte. Revista de Geografia da UFPE. 2006; 23(3):45-58.
9. Almeida JR, EB, Olivo MA, Araújo EL, Zickel CS. Caracterização da vegetação de restinga da RPPN de Maracaípe, PE, Brasil, com base na fisionomia, flora, nutrientes do solo e lençol freático. Acta Botânica Brasilica. 2009; 23(1):36-48.
10. Cantarelli RJR, Almeida Jr EB, Santos-Filho FS, Zickel CS. Tipos fitofisionômicos e florística da restinga da APA de Guadalupe, Pernambuco, Brasil. Insula. 2012; 41:95-117.
11. Sacramento ACS, Almeida Jr EB, Zickel CS. Aspectos florísticos da vegetação de restinga no litoral de Pernambuco. Revista Árvore. 2007; 31(6):1121-1130.
12. Silva SSL, Zickel CS, Cestaro LA. Flora vascular e perfil fisionômico de uma restinga no litoral sul de Pernambuco. Acta Botânica Brasilica. 2008; 22:1123-1135.
13. Dias HM, Soares MLG. As Fitofisionomias das Restingas do Município de Caravelas (Bahia- Brasil) e os bens e serviços associados. Boletim técnico-científico do CEPENE. 2008; 16(1):59-74.
14. Meira Neto JAA, Souza AL, Lana JM, Valente GE. Composição florística, espectro biológico e fitofisionomia da vegetação de muçununga nos municípios de Caravelas e Mucuri, Bahia. Revista Árvore. 2005; 29(1):139-150.
15. Silva SM, Britez RM. A vegetação da planície costeira. In: Marques, M.C.M.; Britez, R.M. (orgs.). História Natural e Conservação da Ilha do Mel. Curitiba: Ed. UFPR, 2005. p. 49-84.
16. Oliveira EVS, Lima JF, Silva TC, Landim MF. Checklist of the flora of the Restingas of Sergipe State, Northeast Brazil. Checklist. 2014; 10(3):529–549.
17. Santos SSC, Reis VS, Furlan AS, Souza RM. Biodiversidade e potencial fitoindicador da vegetação de dunas costeiras da Barra dos Coqueiros, Sergipe, Brasil. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais. 2011; 2(1).
18. Brasil, 2000. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC. Brasília, Diário Oficial da União, 19/07/2000.
19. Brasil, decreto n. 96999 de 20 de outubro de1988. Cria, no litoral do Estado de Sergipe, a Reserva Biológica de Santa Isabel e dá outras providências.
20. Silva ACCD, Santos EAP. Ministério do Meio Ambiente – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (2010): 36 p. (Relatório Técnico). Proposta de Retificação e Atualização dos Limites da Reserva Biológica de Santa Isabel, no Estado De Sergipe.
21. Sergipe em dados – v.1 (1995). Aracaju: SEPLAG /SUPES, 2011 – v. 12 il.
22. Mori AS, Silva LAM, Lisboa G, Coradin L. (Ed.). Manual de Manejo do Herbário Fanerogâmico. Centro de Pesquisas do Cacau, Ilhéus, Bahia, 1985.
23. ESRI. ArcGIS 9.3. New York, 2008.
24. Fonseca RF. A Flora da Reserva Biológica de Santa Isabel, Pirambu – Sergipe. (1999): 26 p. (Relatório técnico). Salvador, 1999.
25. Magnago LF, Pereira OJ, Matos FA, Souza PF. Caracterização Fitofisionômica da Restinga na Morada do Sol, Vila Velha/ES Revista Brasileira de Biociências. 2007; 5(1):456-458.
26. Thomazi RD, Rocha RT, Oliveira MV, Bruno AS Silva AG. Um panorama da vegetação das restingas do Espírito Santo no contexto do litoral brasileiro. Natureza online. 2013;11(1):1-6.
27. Braz DM, Jacques EL, Somner GV, Sylvestre LS, Rosa MMT, Pereira-Moura MVL, Germano Filho P, Couto AVS, Amorim TA. Sandy coastal plains (restinga) of Praia das Neves, ES, Brazil: phytophysiognomy characterization, flora and conservation. Biota Neotropica. 2013; 13(3).
28. Pereira OJ. Restinga: origem, estrutura e diversidade. In: Jardim MAG, Bastos MNC, Santos JUM. (Orgs.). Desafios da botânica brasileira no novo milênio: inventário,sistematização e conservação da biodiversidade vegetal. Pará: Editora EMBRAPA 2003, Brasil/Museu Paraense Emílio Goeldi, p.177- 179.
29. Martins SE, Rossi L, Sampaio PSP, Magenta MAG. Caracterização florística de comunidades vegetais de restinga em Bertioga, SP, Brasil. Acta Botânica Brasilica. 2008; 22(1):249-274.
30. Pinto-Sobrinho FA, Souza CRG, Badel Mongollon JEJ. Análise estrutural de florestas de restinga associadas a depósitos marinhos pleistocênicos e holocênicos na bacia do rio Itaguaré, Bertioga (SP). Revista do Instituto Geológico. 2011; 32(1/2):27-40.
31. Sobrinho FAP, Souza CRG. Caracterização florística e estrutural de quatro sub-biomas florestais presentes na planície costeira de Bertioga, Sudeste do Brasil: resultados parciais. In: Seminário Latino Americano de Geografia Física, 6, 2010, Coimbra. Anais... Coimbra: Universidade de Coimbra, 2010.

Downloads

Publicado

2014-10-13