Perfil epidemiológico da hanseníase na Bahia e no município de Teixeira de Freitas

Autores

  • Thiago Soares Rocha Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Luanna Chácara Pires Centro de Formação em Desenvolvimento Territorial, Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Ana Luiza Coutinho Matos Santana Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Hayana Ramos Lima Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Gabriela da Cruz Martins Instituto Federal Baiano
  • João Batista Lopes Silva Centro de Formação em Desenvolvimento Territorial, Universidade Federal do Sul da Bahia http://orcid.org/0000-0001-8202-4812

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2021.127501

Palavras-chave:

Mycobacterium leprae, Doenças Negligenciadas, Incidência

Resumo

O objetivo deste estudo foi caracterizar o perfil epidemiológico da hanseníase no estado da Bahia e no município de Teixeira de Freitas no período de 2001 a 2019. Foram utilizados dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde e de casos notificados de Hanseníase em ambas as localidades. As variáveis analisadas foram: sexo, localidade, faixa etária, classe de operação de diagnóstico e grau de cura. É possível observar que para a Bahia, e principalmente para Teixeira de Freitas, a erradicação da doença é uma realidade pouco tangível. O estado baiano possui alta incidência de casos de hanseníase e Teixeira de Freitas apresenta incidência muito alta. Em relação às variáveis estabelecidas no estudo, tanto na Bahia quando em Teixeira de Freitas verificou-se que a predominância dos casos registrados foi do sexo masculino e da faixa etária de 30 a 39 anos.

Biografia do Autor

Thiago Soares Rocha, Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia

Discente de Biomedicina, Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia.

Graduado em Bacharelado Interdisciplinar em Ciências, Instituto de Humanidades, Artes e Ciências.

Luanna Chácara Pires, Centro de Formação em Desenvolvimento Territorial, Universidade Federal do Sul da Bahia

Professora da Universidade Federal do Sul da Bahia, Campus Paulo Freire, Centro de Formação em Desenvolvimento Territorial.

Doutora em Zootecnia pela Universidade Federal de Viçosa

Zootecnista pela Universidade Federal de Viçosa

Ana Luiza Coutinho Matos Santana, Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia

Discente em Medicina, Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia

Graduada em Bacharelado Interdisciplinar em Saúde, Instituto de Humanidades, Artes e Ciência, Universidade Federal do Sul da Bahia

Hayana Ramos Lima, Centro de Formação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Sul da Bahia

Professora da Universidade Federal do Sul da Bahia, Campus Paulo Freire, Centro de Formação em Ciências da Saúde

Doutorado em Ciências Aplicadas na Univesidade de São Paulo

Graduada em Odontologia na Universidade Estadual de Feira de Santana

Gabriela da Cruz Martins, Instituto Federal Baiano

Discente de Agronomia, IFBaiano, Teixeira de Freitas – BA

Graduada em Bacharelado Interdisciplinar em Ciências, Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, Universidade Federal do Sul da Bahia

João Batista Lopes Silva, Centro de Formação em Desenvolvimento Territorial, Universidade Federal do Sul da Bahia

Professor da Universidade Federal do Sul da Bahia, Campus Paulo Freire, Centro de Formação em Desenvolvimento Territorial

Doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa

Graduado em Enenheira Agrícola e Ambiental pela Universidade Federal de Viçosa

Downloads

Publicado

2022-01-14