Rendimento do cariru, Talinum triangulare, em sistema de cultivo hidropônico

Autores

  • Fabio Sebastião Araujo INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
  • Danilo Fernandes Silva Filho INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
  • Ariel Dotto Blind INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
  • Jose Nilton Rodrigues Figueiredo INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
  • Luiz Augusto Gomes de Souza INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2018.070201

Palavras-chave:

Hortaliça alternativa, solução nutriente, produção de biomassa

Resumo

O cariru é uma hortaliça folhosa, muito consumida na região norte do Brasil e atualmente demanda informações concretas sobre seu cultivo em sistema hidropônico. Neste sentido, objetivou-se avaliar o desempenho dessa espécie em sistema de cultivo hidropônico mini floating. O experimento foi conduzido em estufa convencional, adotando-se o delineamento inteiramente casualizado, com três tratamentos: T1- reposição de nutrientes com nível de redução da Condutividade Elétrica (CE) em 25%; T2- reposição de nutrientes com nível de redução da CE em 50% e T3- reposição de nutrientes quando houver uma redução de 50% do volume inicial da solução nutritiva, e quatro repetições. As plantas avaliadas foram propagadas vegetativamente por estaquia em espuma fenólica e o cultivo em cubas plásticas com dimensões de 47,4 x 16,8 x 16,3 cm, com capacidade para 8 litros de solução nutriente. O conteúdo das massas frescas e secas e da composição química foram avaliadas em três colheitas, cada uma em um intervalo de 21 dias. Na avaliação, observou-se que, o cariru responde bem à redução da CE em níveis de 25% e 50%, em função dos cortes sucessivos, sem a necessidade da troca total da solução nutritiva. Por outro lado, a cada colheita realizada houve redução na produção de biomassas frescas e secas na ordem de 23% em média para todos os tratamentos. Entre os macros e micronutrientes presentes na biomassa da parte vegetativa da planta, o potássio e ferro se destacaram com valores de 290,75 g kg-1 e 395 mg kg-1, respectivamente.

Biografia do Autor

Fabio Sebastião Araujo, INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Departamento de produçao vegetal - Coordenação Sociedade Ambiente e Saude.

Danilo Fernandes Silva Filho, INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Departamento de produçao vegetal - Coordenação Sociedade Ambiente e Saude.

Ariel Dotto Blind, INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Departamento de produçao vegetal - Coordenação Sociedade Ambiente e Saude.

Jose Nilton Rodrigues Figueiredo, INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Departamento de produçao vegetal - Coordenação Sociedade Ambiente e Saude.

Luiz Augusto Gomes de Souza, INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia

Departamento de produçao vegetal - Coordenação Sociedade Ambiente e Saude.

Downloads

Publicado

2018-08-15

Edição

Seção

Artigos