O enfrentamento do diagnóstico da doença falciforme: Desafios e perspectivas vivenciadas pela família

Cintia Aparecida Ataide, Janete Ricas

Resumo


A doença falciforme (DF) é a doença genética mais comum no Brasil, com alta prevalência e morbimortalidade, consequente às diversas complicações, sendo considerada como um problema de saúde pública. O presente estudo teve por objetivo compreender o impacto do diagnóstico da doença falciforme no contexto familiar. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 12 mães/cuidadoras de crianças portadoras da DF, diagnosticadas através da triagem neonatal - teste do pezinho e que estavam recebendo tratamento no Setor de Hematologia Pediátrica do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes – HUCAM/UFES, em Vitória/ES. O resultado desse estudo retrata grande influência dos fatores socioeconômicos sobre a reação da família; restrita participação paterna no tratamento da criança; a dificuldade inicial na compreensão da comunicação diagnóstica pela influência da não visibilidade da doença, a associação direta da doença falciforme com síndromes e doenças mentais, favorecida pela falta de conhecimento popular sobre elas. Observamos que o apoio dos profissionais de saúde e da educação em saúde foi um facilitador no enfrentamento da doença.


Palavras-chave


doença falciforme; família; triagem neonatal

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2017.059908

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Cintia Aparecida Ataide, Janete Ricas

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.