Práticas epistêmicas na construção e justificação dos saberes pelos alunos

F. A. Freire, A. C. T. Silva, D. R. Borges

Resumo


Este artigo apresenta uma discussão sobre os resultados obtidos em uma pesquisa que teve como objetivo analisar as práticas epistêmicas desenvolvidas ao longo de atividades investigativas, em salas de aula de Ciências, buscando dar visibilidade ao processo de construção e justificação dos saberes pelos alunos.  Para tanto, analisamos aulas de uma turma do ensino fundamental do Colégio de Aplicação da UFS. A análise dos dados obtidos contou com a aplicação de categorias apresentadas no trabalho de Jimènez-Aleixandre et al. [3] e de um software previamente selecionado, o Videograph®. Os resultados apresentados nos mostram que as práticas epistêmicas, potencialmente previstas pelo roteiro de atividade, foram desenvolvidas pelos alunos do grupo investigado, sendo boa parte fomentada pelas intervenções feitas pela professora. Além disso, torna-se perceptível que atividades de laboratório com estrutura investigativa contribuem para a real compreensão da natureza da Ciência.

 


Palavras-chave


aspectos epistêmicos, práticas epistêmicas, Ensino de Ciências.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.