Análise Harmônica das Chuvas Mensais para as Cidades de Pelotas, Rio Grande e Santa Vitória do Palmar, Extremo Sul do Rio Grande do Sul, Brasil

Autores

  • Daniel Souza Cardoso Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS)
  • João Baptista da SIlva Universidade Federal de Pelotas
  • Gilberto Barbosa Diniz Universidade Federal de Pelotas

Palavras-chave:

precipitação pluvial, análise harmônica, previsão

Resumo

No Rio Grande do Sul (RS), o setor agropecuário representa um terço do produto interno bruto (PIB) e seu desempenho apresenta flutuações mediante a variabilidade de elementos meteorológicos, sendo o elemento hídrico fundamental. No sentido de contribuir para estudos e políticas de planejamento para o setor e para a previsão de racionamentos na utilização dos recursos hídricos, realizou-se um estudo da variabilidade dos totais mensais de chuva, a partir de uma série histórica com 60 anos de dados (1948-2007), para as cidades de Pelotas, Rio Grande e Santa Vitória do Palmar, as quais constituem um grupo homogêneo no que tange a variabilidade do elemento estudado. Com o objetivo de obter um modelo, que possa representar o comportamento da precipitação pluvial mensal média, realizou-se uma análise harmônica dos dados previamente ajustados à meses de 30 dias, verificadas as propriedades de normalidade, homogeneidade de variâncias e estacionariedade. O modelo obtido é constituído por três ondas senoidais e representa 87% da variabilidade dos dados. Destacaram-se os harmônicos:semestral com 64% de representatividade, quadrimestral e anual com 12% e 11%, respectivamente. Os modelos foram validados para previsão de valores futuros, através da análise de resíduos, mostrando-se adequados ao nível de probabilidade de 5%. 

Biografia do Autor

Daniel Souza Cardoso, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS)

Possui Licenciatura Plena em Física e Mestrado em Meteorologia. Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) - Campus Rio Grande.

João Baptista da SIlva, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (1963) e especialização em Pós Graduação de Climatologia Agrícola pela Universidade de São Paulo (1965) . Atualmente é professor aposentado da Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Probabilidade e Estatística , com ênfase em Probabilidade e Estatística Aplicadas. Atuando principalmente nos seguintes temas: CHUVAS, pêntadas, regressão periódica, análise de Fourier

Gilberto Barbosa Diniz, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em Meteorologia pela Universidade Federal da Paraíba (1980), mestrado em Meteorologia pela Universidade Federal da Paraíba (1994) e doutorado em Fitotecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002). Atualmente é professor associado nível 4 da Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Meteorologia Física e Climatologia Estatística, atuando principalmente nos seguintes temas: climatologia, variabilidade climática, temperatura mínima, precipitação e el niño/ la niña.

Downloads

Publicado

2015-02-10

Edição

Seção

3ª Mostra de Produção Científica e Tecnológica