A Matriz Curricular de um curso de Licenciatura em Química do Nordeste Brasileiro após adequação as Diretrizes Curriculares (2002).

Autores

  • J. P. M. Lima Universidade Federal de Sergipe
  • A. A. Pagan Universidade Federal de Sergipe
  • E. M. Sussuchi Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

Racionalidade Técnica, Formação de professores, Matriz curricular

Resumo

A formação de professores tem sofrido críticas quanto à dissociação existente entre teoria e prática, presença da racionalidade técnica e modelos de formação que se aproximam de um curso com características do bacharelado. A partir das modificações ocorridas após a implantação de novas Diretrizes Curriculares para cursos de Licenciatura (2002), buscamos compreender as contribuições sobre o aumento e incorporação de disciplinas de prática pedagógica ao longo de um curso de licenciatura em Química de uma universidade pública do Nordeste Brasileiro. A pesquisa foi realizada através da análise de documentos, como: O Parecer do Conselho Nacional de Educação/Conselho Pleno (CNE/CP 009/2001), a Resolução 11 de 18 de fevereiro de 2002, da Câmara de Educação Superior (Parecer CNE/CES 1.303/2001) e a Resolução CNE/CES 8, de 11 de março de 2002 e das matrizes curriculares do curso. Percebemos que as mudanças ocorridas possibilitam maior contato dos alunos com o campo de trabalho, produção e análise de materiais didáticos, o que favorece a superação do modelo (3+1).

Downloads

Publicado

2013-08-05