Letramento(s) e identidades na luta por Reforma Agrária no sudeste paraense

Laécio Rocha de Sena, Maria Cristina Macedo Alencar

Resumo


Este trabalho analisa processos discursivos de constituição de identidade(s) de trabalhadoras rurais não alfabetizadas. Nossa atenção volta-se, especialmente, para elementos linguístico-discursivos que indiciam suas representações acerca do letramento escolar e de suas práticas de leitura e escrita em situações não escolares, procurando compreender como se constituem enquanto sujeitos que participam da luta por Reforma Agrária. Utilizando metodologias dos estudos discursivos bakhtinianos, analisamos fragmentos de três entrevistas que constituem um corpora já existente num banco de dados da Universidade Federal do Pará, Campus de Marabá. Os resultados nos mostram que as trabalhadoras rurais não alfabetizadas constroem representações negativas das práticas de letramentos vernaculares e que há uma supervalorização do poder da escrita nas representações dos sujeitos da pesquisa, particularmente do modelo de escrita escolar que eles têm construído. 

Palavras-chave


Identidades; Trabalhadoras rurais; Letramento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.