INFLUÊNCIA DA IDADE NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DO ESTIPE DO COCO-DA-BAÍA.

I. P. A. Santos, A. A. Cardoso Júnior, J. M. Santana, A. Y. K. V. Shan, D. G. Oliveira

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi determinar os valores de densidade e a contração total do estipe do coqueiro a fim de avaliar a influência da idade nas suas propriedades físicas. O presente estudo foi desenvolvido em três povoamentos de Cocos nucifera, idade média de 35 anos, no município de Estância/SE. As árvores selecionadas foram derrubadas e seccionadas em toras de 1,25 metros, sendo posteriormente transportadas até a serraria onde foram processadas com a utilização de uma serra circular. Os corpos de prova foram confeccionados no Laboratório de Usinagem e Produção de Móveis do Departamento de Ciências Florestais da Universidade Federal de Sergipe. Esses corpos de prova foram medidos com o auxílio de um paquímetro digital de precisão de 0,01 mm os planos tangencial, radial e axial com a amostra saturada. Posteriormente as amostras foram levadas a estufa com temperatura de 103 ± 2 oC até peso constante, em seguida foram colocadas em um dessecador para resfriar. Por fim, realizaram-se novamente as medidas nos planos anatômicos para a determinação das suas contrações lineares, radial, tangencial e axial e da contração volumétrica. Os resultados obtidos permitiram concluir que as contrações linear radial, tangencial e volumétrica foram menores aos 25 e 45 anos de idade, que a densidade apresentou o maior valor aos 35 anos de idade e o estipe de coqueiro apresentou características tecnológicas semelhantes a algumas madeiras indicando que seu uso pode ser viável.


Palavras-chave


cocô-da-Baia; densidade; retattibilidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.