Adsorção de sulfato em solos do estado da Paraíba

Lucia Helena Garófalo Chaves, Josely Dantas Fernandes

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estudar a adsorção de sulfato em amostras superficiais de um Latossolo Amarelo (LA), um Argissolo Acinzentado (PAC) e um Argissolo Vermelho eutrófico (PVe) do estado da Paraíba. Foram coletadas amostras de três solos intemperizados na camada de 0–30 cm de profundidade, de modo a ter ampla variação de valores de características físicas e químicas dos solos. As concentrações de S-SO4-2 das soluções de equilíbrio utilizadas para o ajuste da isoterma de Langmuir foram baseadas nos valores de P-rem dos solos e corresponderam a 0,0; 2,5; 5,0; 7,5; 10,0 e 12,5 mg L-1 de S-SO4-2 para os solos LA e PAC; 0,0; 3,5; 7,0; 10,5; 14,0 e 17,5 mg L-1 de S-SO4-2 para os solos PVe. O modelo hiperbólico da isoterma de Langmuir foi ajustado por meio da técnica de linearização obtendo a adsorção máxima de sulfato pelos solos. A espontaneidade da reação de adsorção foi obtida a partir do fator de separação e pela energia livre de Gibbs. O modelo de Langmuir conseguiu descrever satisfatoriamente a adsorção do sulfato para os solos estudados. Dentre os solos estudados, o que mais adsorveu sulfato foi o Latossolo Amarelo. Em geral, a capacidade de adsorção do sulfato pelos solos LA, PAC e PVe  foi muito baixa. O estudo termodinâmico indicou que o comportamento da energia livre da adsorção foi inversamente em relação à concentração do sulfato na solução de equilíbrio e a reação de adsorção do sulfato foi favorável e espontânea. 


Palavras-chave


enxofre, isoterma, energia livre

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.