Degradabilidade de resíduos de curtume no solo

Maurizio Quadro, Marino Tedesco, Clesio Gianello, Amauri Barcelos, Robson andreazza, Leandro Bortolon

Resumo


A produção de resíduos pela indústria do couro tem sido um problema ambiental quando descartado de forma incorreta. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a decomposição de lodo de estação de tratamento de efluentes (ETE) de curtumes, serragem cromada de peles e retalhos de couro, quando aplicados ao solo. Para isto, foi elaborado um experimento de respirometria com aplicação no solo destes diferentes resíduos de curtume durante 157 dias de incubação em casa-de-vegetação. Com a aplicação de 8,0 t ha de lodo de ETE houve uma decomposição de 13% do carbono adicionado ao final do período de incubação. A decomposição dos resíduos de curtume foi menor, nos tratamentos com as maiores concentrações. A adição de Cr(III) mineral ao resíduo não afetou a atividade microbiana. A decomposição da serragem cromada e de retalhos de couro foi de 7,5% e 6,4%, respectivamente, somente com a adição de nitrogênio mineral. De acordo com os resultados obtidos, os resíduos de lodo de curtume podem ser uma alternativa de fertilizantes para a agricultura, desde que seja respeitada a concentração de sua adição.


Palavras-chave


Descarte de resíduos; Curtume; Evolução de C-CO2

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.