Produção de mudas de Tagetes erecta L. em função de substrato, fertilizante e calcário.

JOSÉ SANDES CARVALHO FILHO, ARIE FITZGERALG BLANK, ANDRESSA GIOVANNINI COSTA, RENATA SILVA-MANN

Resumo


<!--[endif]--> <!--[endif]-->

O objetivo do presente trabalho foi avaliar concentrações de fertilizantes orgânico e mineral em associação ou não com o substrato pó de coco e concentrações de fertilizante mineral e calcário na produção de mudas de cravo de defunto (Tagetes erecta L.). Os ensaios foram conduzidos na Fazenda Experimental "Campus Rural da UFS", localizado em São Cristóvão – SE. Utilizou-se delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 4, com três repetições, em que cada parcela constituiu de 24 plantas, para os dois ensaios. No primeiro ensaiou, avaliaram-se quatro doses de esterco bovino associado ao substrato pó de coco (0%, 20%, 40% e 60%) e quatro doses de NPK 6-24-12 + micronutrientes (Hortosafra®) (0; 1; 2; 4g/L). As mudas mais altas e com maior peso de matéria seca da parte aérea e raiz foram obtidas aplicando 4g de NPK/L de substrato, na ausência de esterco bovino. Para testar maiores dosagens de fertilizantes minerais a fim de se obter mudas mais vigorosas, foi implantado um segundo ensaio em que foram avaliadas quatro doses de NPK 6-24-12 + micronutrientes (0, 4, 8 e 12 g) e quatro doses de calcário dolomítico (0, 1, 2 e 3 g) por litro de pó de coco. A adubação com 8 g de NPK + micronutrientes e 1,5 g de calcário dolomítico por litro de substrato é o substrato mais indicado à produção de mudas vigorosas de Tagetes erecta.


Texto completo:

pdf

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.