Espaçamento e densidade populacional no desenvolvimento reprodutivo no algodoeiro herbáceo

Paulo Trindade da Silva, Fernando Giovannetti de Macedo, Marcos Antônio Camacho, Cristiano Santos, Adalberto Santi, William Krause, José Roberto Rambo

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do espaçamento e da densidade de plantas para o algodoeiro quanto às estruturas reprodutivas e a produtividade. O trabalho foi realizado na área experimental da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Campus de Tangará da Serra MT, latitude 14°37’10” S, longitude 57°29’09” W e altitude de 320 m, na safra 2008/2009. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial 4 x 4, constituindo-se de quatro espaçamentos entrelinhas (0,36, 0,45, 0,75 e 0,90 m), quatro densidades (8, 10, 12 e 14 plantas por metro linear), com quatro repetições, e utilizada a cultivar FMT-701®. Foram contabilizados: número de maçãs e botões florais por planta e produtividade por hectare. Após a avaliação Verificou-se que o espaçamento influencia a cultura do algodoeiro quanto ao seu número de botões florais por planta, número de maçãs e produtividade. Os menores espaçamentos apresentaram menor número de botões florais e menor produtividade. Os espaçamentos de 0,75 e 0,90 m entre linhas apresentaram maior produtividade. Não foi verificado o efeito da interação espaçamento x densidade sobre a cultura.

Palavras-chave


algodão; adensamento; produtividade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.