Traumatismo cranioencefálico em núcleos da base

Autores

  • C. U. Pereira Departamento de Medicina, Universidade Federal de Sergipe
  • T. O. Leite Departamento de Medicina, Universidade Federal de Sergipe

Palavras-chave:

Traumatismo cranioencefálico, núcleos da base, tomografia computadorizada, Escala de Coma de Glasgow

Resumo

O traumatismo cranioencefálico (TCE) é responsável por uma grande parcela da mortalidade em politraumatizados, além de determinar seqüelas neurológicas permanentes em grande parte dos casos. O presente estudo objetivou avaliar pacientes admitidos no setor de trauma do Hospital de Urgências de Sergipe (HUSE) com história de TCE em núcleos da base (NB). Foram analisados quanto à idade, sexo, escore na escala de coma de Glasgow (ECGl) à admissão, causas, apresentação da lesão em tomografia computadorizada de crânio (TC), conduta instituída e prognóstico. Dos 14 pacientes, todos foram do sexo masculino, com média 29 anos. O escore na ECGl variou de 3 a 11, média de 6. A principal causa foi acidente automobilístico (93%). A TC evidenciou hemorragia em núcleos da base em todos os pacientes. Quatro apresentavam lesões intracranianas associadas (contusões cerebral 2 e hematoma subdural 2). O tratamento cirúrgico foi realizado nos pacientes com hematoma subdural e nos demais, tratamento conservador. Nove pacientes sobreviveram e 5 foram a óbito. Concluiu-se que o TCE em NB, apesar de representar pequeno percentual na totalidade dos casos de TCE, é responsável por uma importante morbimortalidade em pacientes politraumatizados. 

Downloads