Consumo e custo energético do processo de produção de quitina para remoção de azul de metileno

Autores

  • Iliane Otto
  • Guilherme Schoeler
  • Mery Vieira
  • Maurízio Quadro
  • Simone Pieniz
  • Robson Andreazza Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2022.041501

Palavras-chave:

transformação do resíduo, camarão, valoração do resíduo

Resumo

A quitina vem sendo obtida de resíduos de camarão para aplicação na área ambiental. No entanto, torna-se difícil estimar o consumo e custo energético do processo de produção da quitina devido à variedade de metodologias empregadas para tal finalidade. Neste sentido, este estudo selecionou duas das metodologias mais citadas, e as utilizou como referência para a obtenção de quitina através de quatro tratamentos. Nos quais realizou-se alterações nos equipamentos utilizados, e fez-se quantificações do consumo e custo energético por equipamento e processo. As quitinas obtidas foram quantificadas com relação ao rendimento do processo, e testadas como material adsorvente de corante sintético. O tratamento (T4) em que a quitina foi obtida a temperatura ambiente, com uso do Jar Test e apenas duas etapas de secagem do material merece destaque como um possível processo de obtenção de quitina. Este possibilitou um rendimento maior que 20%, e um percentual de remoção de contaminantes em torno de 60%, ao mesmo tempo que possui o menor consumo, em torno de 25 kWh, e custo energético, aproximadamente R$ 14,2, para obtenção de uma quitina com a qualidade exigida para a aplicação como descontaminante de águas, e potencial utilização na produção de quitosana, um adsorvente muito mais eficiente para a adsorção.

Downloads

Publicado

2022-05-12

Como Citar

Otto, I., Schoeler, G., Vieira, M., Quadro, M., Pieniz, S., & Andreazza, R. (2022). Consumo e custo energético do processo de produção de quitina para remoção de azul de metileno. Scientia Plena, 18(4). https://doi.org/10.14808/sci.plena.2022.041501

Edição

Seção

Artigos