A administração sistêmica de rosiglitazona leva à apoptose de cementócitos em camundongos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2021.076701

Palavras-chave:

cemento dentário, DAPI, marcação in situ das extremidades cortadas

Resumo

Foi demonstrado que uma classe de medicamentos para o controle do diabetes, as tiazolidinedionas, leva ao aumento da apoptose dos osteócitos. Considerando as correlações entre osteócitos e cementócitos, o objetivo deste estudo foi demonstrar a apoptose de cementócitos em camundongos selvagens que receberam rosiglitazona. Vinte e quatro camundongos C57BL / 6 machos foram divididos em 3 grupos: 1 controle, que recebeu apenas a administração do veículo via oral por 1 semana (PBS + DMSO 10%) e outros dois grupos, que receberam 10 mg / kg de RGZ + PBS + DMSO 10% por 1 ou 2 semanas, respectivamente. Após a conclusão destes ciclos, os camundongos foram mortos por CO2 e as mandíbulas foram dissecadas e submetidas ao processamento histotécnico de rotina. As secções foram analisadas por meio de marcação dUTP nick-end mediada por transferase (TUNEL) e coloração 4',6-diamidino-2-fenilindol (DAPI) da morfologia nuclear (α = 0,05). O grupo controle apresentou relação células apoptóticas/células totais significativamente menor quando comparado aos grupos experimentais pelos métodos TUNEL e DAPI (p=0.010 e 0.004, respectivamente). O método TUNEL mostrou aproximadamente 20% de cementócitos TUNEL-positivos no controle e 26% em ambos os grupos experimentais, enquanto a técnica DAPI mostrou aproximadamente 32% de cementócitos DAPI-positivos no controle e 38% a 40% nos grupos experimentais. A administração sistêmica da rosiglitazona pode levar à apoptose dos cementócitos em camundongos. Apesar das diferenças entre os grupos experimental e controle, a morte dos cementócitos ocorreu como um fenômeno fisiológico, importante no entendimento do papel dessas células no tecido periodontal.

Biografia do Autor

Raquel Assed Bezerra da Silva, Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil

Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil

Lea Assed Bezerra da Silva, Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil

Department of Pediatric Dentistry, School of Dentistry of Ribeirão Preto, University of São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brazil

Katharina Morant Holanda de Oliveira-Vanderlei, Department of Dentistry of Lagarto, Federal University of Sergipe, SE, Brazil

Department of Dentistry of Lagarto, Federal University of Sergipe, SE, Brazil

Ricardo Barbosa-Lima, Departamento de Odontologia de Lagarto -Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Departamento de Odontologia de Lagarto -Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Alberto Consolaro, Department of Oral Pathology, Bauru Dental School, University of São Paulo, SP, Brazil

Department of Oral Pathology, Bauru Dental School, University of São Paulo, SP, Brazil

Downloads

Publicado

2021-08-12

Edição

Seção

Artigos