Pó e fibra de coco, como componentes de substratos, para produção de mudas de espécies da caatinga

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2020.100203

Palavras-chave:

qualidade de mudas, resíduos sólidos, reflorestamento

Resumo

Uma alternativa viável para destinação final seja o uso de seus resíduos na formulação de substratos para produção de mudas de espécies da caatinga. Para avaliar a viabilidade técnica da alternativa foi realizado um experimento no Instituto Federal do Ceará, campus Quixadá, no qual mudas de Libidibia ferrea, Cenostigma pyramidale e Amburana cearenses foram plantadas nos seguintes tratamentos: T0 - 70% solo + 30% esterco bovino, T1 - 70% solo + 20% esterco bovino + 10% pó de coco e T2 - 70% solo + 20% esterco bovino + 10% fibra de coco. Em cada tratamento foram utilizados 10 mudas por espécie, sendo o delineamento experimental inteiramente casualizado. Inicialmente foi calculada a porcentagem de emergência e em seguida, mensalmente, foram medidos altura e diâmetro das mudas. Após quatro meses de experimento foi realizada a análise do investimento em características funcionais. O uso dos resíduos favoreceu a porcentagem de emergência de L. ferrea e C. pyramidale, mas não favoreceu de A. cearenses. A presença do pó de coco proporcionou maior investimento em altura e diâmetro máximos, comprimento da raiz primária, densidade da madeira e teor de matéria seca da madeira em mudas de L. ferrea, e de maior teor de matéria seca da madeira e das raízes secundárias em mudas de C. pyramidale. Deste modo, conclui-se que o uso dos resíduos, principalmente o pó, causa efeitos positivos ou neutros na produção de mudas de L. ferrea e C. pyramidale, além de ser uma alternativa de destinação final ambientalmente adequada para eles.

Downloads

Publicado

2020-11-13

Como Citar

Lima, D. F., & Silva, M. A. M. (2020). Pó e fibra de coco, como componentes de substratos, para produção de mudas de espécies da caatinga. Scientia Plena, 16(10). https://doi.org/10.14808/sci.plena.2020.100203