Desenvolvimento e qualidade de mudas de Parkia gigantocarpa Ducke (Fabaceae) em função de fertilizante de liberação controlada

Autores

  • Victor Pereira Oliveira Universidade Federal Rural da Amazônia https://orcid.org/0000-0001-9049-9164
  • Roberta Souza Mendes Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Walmer Bruno Rocha Martins Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Emerson Assis dos Santos Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Dênmora Gomes de Araújo Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Marcos André Piedade Gama Universidade Federal Rural da Amazônia

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2021.090201

Palavras-chave:

espécies nativas, Osmocote®, trocas gasosas

Resumo

A Parkia gigantocarpa pertencente ao grupo das espécies pioneiras e demandantes de luz, possuindo como principal característica ecológica o crescimento rápido, sendo indicada para plantio em clareiras e recomposição de áreas em projetos de restauração florestal. O objetivo desse estudo foi avaliar os efeitos de doses crescentes do fertilizante de liberação controlada (FLC) no desenvolvimento inicial de mudas de P. gigantocarpa. O estudo foi conduzido em casa de vegetação com 50% de sombreamento, por um período de 90 dias após o transplantio das mudas. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos e dezoito repetições. Os tratamentos consistiram em quatro doses de Osmocote® (0 - 4,1 - 8,2 e 12,3 g dm-3) na formulação NPK (15-09-12). Os resultados demostraram que a maioria dos parâmetros fitométricos e as trocas gasosas responderam de forma significativa para as doses intermediárias do FLC, podendo ser confirmados pelos aumentos em número de folhas (NF), área foliar (AF), massa seca total (MST), índice de qualidade de Dickson (IQD) e taxa fotossintética líquida (PN). Adicionalmente, também houve reduções significativas para a concentração intercelular de CO2 (Ci), demostrando que as mudas apresentaram maior eficiência estomática e no aparato fotossintético. Assim, o FLC contribuiu positivamente no crescimento inicial das mudas de P. gigantocarpa, sendo recomendado a dose de 4,1 g dm-3 do Osmocote®, 50% da dose recomenda pelo fabricante.

Downloads

Publicado

2021-10-18

Como Citar

Oliveira, V. P., Mendes, R. S., Martins, W. B. R., dos Santos, E. A., de Araújo, D. G., & Gama, M. A. P. (2021). Desenvolvimento e qualidade de mudas de Parkia gigantocarpa Ducke (Fabaceae) em função de fertilizante de liberação controlada . Scientia Plena, 17(9). https://doi.org/10.14808/sci.plena.2021.090201