Efeito alelopático de Solanum pimpinellifolium L. sobre a germinação e crescimento inicial de Lactuca sativa e Bidens pilosa

Autores

  • Raiane de Souza Fioresi Universidade Federal do Espirito Santo
  • Josinei Rodrigues Filho Universidade Federal do Espirito Santo
  • Idalina Tereza de Almeida Leite Perin Universidade Federal do Espirito Santo
  • Rodolpho Waichert da Silva Universidade Federal do Espirito Santo
  • Camila Reis dos Santos Universidade Federal do Espirito Santo
  • Viviana Borges Corte Universidade Federal do Espirito Santo
  • Hildegardo Seibert França Instituto Federal do Espirito Santo - Campus Vila Velha

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2021.060201

Palavras-chave:

Alelopatia, germinação, Solanum

Resumo

Alelopatia é a interferência causada por substâncias químicas produzidas por plantas em organismos da comunidade, acarretando tanto efeitos benéficos quanto prejudiciais. Devido ao grande potencial alelopático do gênero Solanum, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito alelopático dos extratos hexânico, metanólico e de acetato de etila de folhas de Solanum pimpinellifolium L. sobre a germinação de Lactuca sativa e Bidens pilosa. Os extratos foram obtidos por maceração à temperatura ambiente por 7 dias. Depois foram secos e diluídos para as concentrações 1,0; 2,0 e 5,0 mg/mL. Em seguida, 100 sementes de cada espécie foram distribuídas em placas de Petri umedecidas com as diferentes concentrações de cada extrato e colocadas para germinar sob luz constante em câmara de germinação tipo BOD. Os bioensaios foram monitorados diariamente, obtendo-se ao final de 7 dias a porcentagem de germinação e o índice de velocidade de germinação (IVG). Dos três extratos analisados, o obtido pela extração com acetato de etila apresentou melhor desempenho, diminuindo a velocidade e a porcentagem de germinação em todas as concentrações e na concentração 5,0 mg/mL apresentou apenas 7% de germinação para L. sativa. O extrato hexânico diminuiu a velocidade e a porcentagem de germinação de B. pilosa em todas as concentrações. As análises fitoquímicas realizadas por meio de técnica de cromatografia em camada delgada (CCD) nos extratos de folha de Solanum pimpinellifolium identificaram quatro grupos químicos: flavonoides, saponinas, alcaloides e mono e diterpenos, sendo apenas esta última classe presente em todos os extratos analisados.

Downloads

Publicado

2021-07-22

Edição

Seção

Artigos