Efeito do estresse salino na qualidade fisiológica de sementes de girassol

Allívia Rouse Carregosa Rabbani, Renata Silva-Mann, Robério Anastácio Ferreira, Sheila Valéria Álvarez Carvalho, Francisco Bruno da Silva Nunes, Alexandro de Souza Brito

Resumo


A salinidade influencia significativamente na germinação das sementes, pela redução do potencial hídrico do substrato, induzindo menor capacidade de absorção de água. O objetivo deste trabalho foi avaliar a germinação de sementes de girassol sob diferentes concentrações de solução de cloreto de sódio a 0, 25, 50, 100, 200 e 250 Mol.m-3. O experimento foi montado com quatro repetições de 25 sementes por tratamento. Os parâmetros avaliados foram: porcentagem, índice de velocidade, tempo médio e velocidade média de germinação. Os resultados foram submetidos à análise de variância, e regressão polinomial utilizando-se o programa estatístico Sisvar®. A concentração de 25 Mol.m-3 apresentou melhores resultados para as variáveis analisadas, sendo que a partir de 50 Mol.m-3 a salinidade influência negativamente a resposta germinativa, promovendo um decréscimo no vigor das sementes.


Palavras-chave


Helianthus annuus L.; salinidade; germinação; vigor; nordeste; Brasil

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.