Interação das espécies Echinochloa crusgalli e Pistia stratiotes para fitorremediação de Levonorgestrel

Rayssa Thainá Paiva Alves, Sandro José de Andrade, Katiúcia Dias Fernandes

Resumo


Os contaminantes emergentes provenientes dos avanços tecnológicos, industriais, agropecuários e farmacêuticos estão cada vez mais presentes na natureza, ameaçando à saúde humana e ao meio ambiente. O levonorgestrel (LNG) é um exemplo desses contaminantes que são encontrados em concentrações extremamente baixas, dificultando a remoção por técnicas convencionais de tratamentos de água e esgoto. Portanto, surgem métodos alternativos de remoção desses compostos, como o uso da fitorremediação. Essa técnica se baseia na remoção de contaminantes emergentes através de plantas. Diante disso, objetivou-se remover o LNG de solução aquosa através das espécies Echinochloa crusgalli e Pistia stratiotes juntas e separadamente. Utilizou-se 3 tratamentos de estudo (0,16 mg L-1 de Levonorgestrel), controle positivo (com hormônio, sem plantas) e controle negativo (com plantas, sem hormônio), seguido de 3 condições de plantas (apenas E. crusgalli; apenas P. stratiotes; ambas as espécies) em duas repetições, totalizando 30 experimentos. Analisou-se as soluções por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência com detector de arranjo de diodos (HPLC/DAD). As determinações de LNG nas plantas foram realizadas através de Cromatografia acoplada ao Espectrômetro de Massas (GC/MS). No geral, os resultados obtidos apresentaram um desempenho satisfatório, pois na segunda semana todos os tratamentos de estudo obtiveram uma concentração de LNG abaixo do limite de quantificação do método (0,025 mg L-1). As análises macroscópicas das plantas não apresentaram diferenças significativas, indicando que ambas as espécies desenvolveram-se bem nesse meio. Assim, conclui-se que essas espécies podem ser utilizadas em programas de biomonitoramento e fitorremediação, tanto juntas quanto separadas para complemento de purificação de água e esgoto


Palavras-chave


Contaminantes Emergentes, Interferentes Endócrinos, HPLC

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2020.047201

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Rayssa Thainá Paiva Alves, Sandro José de Andrade, Katiúcia Dias Fernandes

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.