DIVERSIDADE E IMPORTÂNCIA ECONÔMICA DAS MYRTACEAE DO CERRADO, PARQUE ESTADUAL DO MIRADOR, MARANHÃO

Gonçalo Mendes da Conceição, Jeremias Gaido Aragão

Resumo


A família Myrtaceae compreende as subfamílias: Leptospermoideae e Myrtoideae, sendo que a primeira possui maior concentração na Austrália e a segunda distribui-se principalmente na América do Sul e Central. O presente trabalho teve por objetivo realizar o levantamento florístico e conhecer o potencial econômico das espécies de Myrtaceae para o Parque Estadual do Mirador. Foram registradas 28 espécies, distribuídas entre os gêneros Myrcia, Eugenia, Psidium, Campomanesia, Calycolpus e Myrciaria. Estes gêneros estão enquadrados em três subtribos, a saber: Eugeniinae (8 spp), Myrciinae (10 spp) e Myrtinae (10 spp), sendo as duas ultimas as que comtemplaram os maiores números de espécies. São conhecidas para o Parque 49% das espécies de Myrtaceae listadas para o Maranhão. Destaca-se o potencial econômico de diversas espécies, tais como: Campomanesia aromatica (Aubl.) Griseb., com propriedades medicinais; Eugenia dysenterica DC., árvore melífera e ornamental; Myrciaria tenella (DC.) O.Berg, de uso madeireiro, dentre outras. Estudos floristicos são extremamente importantes para o Parque Estadual do Mirador, principalmente para os cerrados do estado do Maranhão, em decorrência da ausência de levantamentos detalhados e sistemáticos. Para os cerrados, a elaboração de listas bem identificadas são instrumentos importantes e necessários para que se possa conhecer a diversidade de espécies desta família.


Texto completo:

pdf

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.