Estudo de atividade antimicrobiana de 3,4-(metilenodióxi)-acetofenona

Hermes Diniz Neto, Jefferson Nóbrega, Gabrielly Duarte, Flávio Borges, José Barbosa Filho, Luis Rodrigues, Abrahão de Oliveira Filho, Edeltrudes Lima

Resumo


A crescente incidência de infecções por bactérias e fungos têm preocupado diversos órgãos de saúde ao redor do mundo. Entre as infecções mais prevalentes estão as bacterianas, causadas por Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa, e infecções fúngicas como candidíase e aspergilose. A farmacoterapia utilizada nos casos de infecção normalmente apresenta toxicidade indesejada e hoje em dia já começa a falhar ao não obter êxito diante de cepas resistentes. Esta realidade gera a necessidade crítica de desenvolvimento de novas estratégias para o combate destas infecções de elevadas taxas de mortalidade. A 3,4-(metilenodióxi)-acetofenona (EPHO) é um produto químico da classe das acetofenonas, facilmente adquirido comercialmente e amplamente utilizado em reações de síntese química. Contudo, ainda não é apropriadamente explorada quanto ao seu potencial antimicrobiano. Para avaliar o perfil antimicrobiano da substância, a concentração inibitória mínima (CIM) foi determinada contra cepas bacterianas e fúngicas envolvendo tanto leveduras quanto fungos filamentosos. Foi observado que, apesar do produto se mostrar inerte contra bactérias, ele apresentou atividade inibitória contra algumas cepas de fungos leveduriformes e filamentosos com CIM respectivas de 1024 e 512 µg/mL.

Palavras-chave


Aspergilose; candidíase; microdiluição

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2020.014501

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Hermes Diniz Neto, Jefferson Nóbrega, Gabrielly Duarte, Flávio Borges, José Barbosa Filho, Luis Rodrigues, Abrahão de Oliveira Filho, Edeltrudes Lima

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.