Uso de ferramentas de mineração para análise da absorção de água em formulações cerâmicas com resíduo oriundo da região da campanha

Gabryella Cerri Mendonça, cristiano Corrêa Ferreira, Vera Lucia Duarte Ferreira

Resumo


Os avanços tecnológicos têm como vantagens o barateamento de custos de componentes até mudanças de paradigmas, permitindo a coleta de grandes bases de dados para diversas aplicações. A utilização de ferramentas que permitam a captação, o gerenciamento e análise das informações, são fatores fundamentais a qualquer empresa que quer ter uma significativa participação no mercado. O presente trabalho tem como objetivo utilizar a mineração de dados para classificar corpos de prova cerâmicos formulados com diferentes percentuais de cinza de casca de arroz (0:0; 0:10; 0:20 e 0:30) por meio de ensaios de caracterização física (absorção de água). O processo de fabricação dos corpos de prova ocorreu por prensagem e a secagem foi realizada de modo natural e artificial, ao final desse processo os corpos de prova foram sinterizados na temperatura de 800ºC. A metodologia utilizada para caracterizar a absorção de água seguiu os procedimentos da M-CIENTEC 0-22 (1995). Para a aferição dos resultados encontrados no teste de absorção utilizou-se os parâmetros da norma NBR 15270-2005 e análise estatística através do software WEKA. Ao final observou-se que todos os corpos de prova da formulação 0:0 e 70% da formulação 0:10 estão dentro dos índices físicos recomendados para blocos de vedação. As demais formulações apresentaram resultados fora do recomendado. Em relação ao software WEKA o algoritmo classificador escolhido para obter-se a árvore de decisão foi J48 e o Kappa statistic obtido foi de 0.88.


Palavras-chave


cerâmica vermelha, absorção de água, minerção de dados

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14808/sci.plena.2019.049905

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Gabryella Cerri Mendonça, cristiano Corrêa Ferreira, Vera Lucia Duarte Ferreira
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.