Abordagem das bactérias extremófilas em livros didáticos de biologia do ensino médio

Clarice Regina da Silva Santos, Héberly Fernandes Braga

Resumo


Os livros didáticos são os instrumentos de ensino mais acessíveis aos professores nas escolas, sendo primordial que os conteúdos possam ser contemplados da forma mais ampla possível. O tema arqueas, merece ser pontuado nesses materiais, especialmente pelos recentes avanços tecnológicos que possibilitam o emprego de tais micro-organismos em diversas áreas. Neste sentido, foram analisadas oito obras didáticas de Biologia do Ensino Médio segundo os aspectos gerais de Coerência e Conceitos, Quantificação e Interdisciplinaridade e Contextualização das bactérias extremófilas, tendo por base o guia do Programa Nacional do Livro Didático do Ministério da Educação. Os critérios “aplicações biotecnológicas e adaptações bioquímicas” foram os que apresentam as maiores defasagens em relação à abordagem do assunto, na maioria das obras didáticas. No geral, somente uma obra teve boa avaliação em todos os aspectos analisados. Quanto ao critério “coerência entre fundamentação teórica e, imagens, textos e exercícios propostos”, todas as obras apresentaram-se satisfatórias. Portanto, apesar de as discussões sobre esse tema serem de suma importância ao contexto atual, as obras apresentam deficiências técnicas, em especial no que tange às aplicações biotecnológicas.


Palavras-chave


Archaea; Ensino de microbiologia; Procariontes extremófilos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2019.092701

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Clarice Regina da Silva Santos, Héberly Fernandes Braga

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.