Bioestimulantes em sementes de olerícolas submetidos a testes de germinação e vigor

Izabelle Scheffer Romagna, Emanuele Junges, Patrícia Karsburg, Suelen De Quadros Pinto

Resumo


A utilização de bioprodutos, economicamente viáveis, são de extrema importância na proteção e estimulo de germinação em culturas olerícolas. Este trabalho avaliou o efeito dos microrganismos Azospirillum brasiliense, Bacillus subtilis, Trichoderma harzianum e o produto comercial para tratamento de sementes (Fipronil + Pilaclostrobina e Metil Tiofanato) em sementes e plântulas de alface (Lactuca sativa), cenoura (Daucus carota) e tomate (Solanum lycopersicum). As sementes foram inoculadas antes de serem submetidas à teste de germinação. O tratamento químico mostrou-se ineficiente na proteção da semente de todas as culturas e estimulo de germinação. A T. harzianum aumentou o índice germinativo de sementes de alface, teve melhores valores em tamanho de sistema radicular na cultura do tomate e estimulou a emissão de radícula na cenoura. O B. subtilis destacou-se no acúmulo de matéria seca na cultura do tomate. Os microrganismos B. subtilis e T. harzianum apresentam potencial para tratamento de sementes de hortaliças.


Palavras-chave


bioprodutos, tratamento de sementes, hortaliças

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2019.100201

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Izabelle Scheffer Romagna

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.