Notas sobre a atividade antileishmania e citotóxica de análogos da piplartina

Keline Medeiros de Araújo-Vilges, Stefan Vilges Oliveira, José Roberto de Sousa Almeida Leite, Selma Aparecida Kuchelhaus

Resumo


As leishmanioses são doenças parasitárias negligenciadas que afetam uma proporção significativa da população humana global. Muitos dos medicamentos disponíveis são tóxicos, caros e frequentemente ineficazes. A piplartina é uma amida extraída da espécie Piper tuberculatum que apresenta diferentes atividades biológicas, tendo destaque para ação antitumoral, antifúngica e antiparasitária. A utilização de substâncias sintetizadas a partir do modelo da piplartina pode ser importante para o desenvolvimento de novas drogas. O presente estudo avaliou o efeito dos análogos (A, B e C) da piplartina, em cultivos de Leishmania amazonensis e em células peritoneais de camundongos swiss. Todas as concentrações utilizadas de A, B e C diminuíram o percentual de formas promastigotas de L. amazonensis e também a viabilidade das células peritoneais, sendo a amida B a que apresentou melhor atividade biológica. Novos ensaios serão necessários para avaliar o efeito desses análogos sobre os macrófagos infectados, levando em consideração a modulação da resposta imune.


Palavras-chave


Leishmania, Piperaceae, piplartina, amidas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14808/sci.plena.2019.017501

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Keline Medeiros de Araújo-Vilges, Stefan Vilges Oliveira, José Roberto de Sousa Almeida Leite, Selma Aparecida Kuchelhaus

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.