Compartilhamento do conhecimento na melhoria da dinâmica organizacional em um serviço de teleterapia

Autores

  • Patrícia Fernanda Dorow Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Cataria http://orcid.org/0000-0002-9036-8356
  • Daniela de Juncêck Fátima Ramos
  • Caroline de Medeiros
  • Tatiane Sabriela Cagol Camozatto
  • Charlene da Silva
  • Franciele Cardoso de Vargas
  • Caroline Salvador
  • Andrea Huhn
  • Paulo Marcelo Rodrigues

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2019.013901

Palavras-chave:

Análise de conteúdo, Compartilhamento do Conhecimento, Radioterapia, Reprodutibilidade.

Resumo

Na área da saúde, principalmente na radioterapia, o trabalho em equipe exige eficiência e coordenação, ou seja, a gestão do conhecimento, principalmente, o compartilhamento do conhecimento torna-se ainda mais necessário para garantir a qualidade na entrega do tratamento. Segundo a literatura, as equipes de trabalho coesivas em radioterapia possuem cinco características fundamentais: metas claras com resultados mensuráveis, sistemas clínicos e administrativos apropriados, divisão do trabalho, treinamento de todos os membros da equipe e comunicação efetiva. A presente pesquisa teve como objetivo geral analisar o compartilhamento do conhecimento na melhoria da dinâmica organizacional em um serviço de teleterapia. Para tanto, realizou-se uma pesquisa qualitativa por meio de entrevistas semiestruturadas com os profissionais envolvidos no funcionamento de um serviço de radioterapia da grande Florianópolis. Participaram do estudo seis profissionais. Para análise dos dados foi utilizada a técnica de análise de conteúdo. Os resultados indicam que, em relação ao compartilhamento do conhecimento no local pesquisado, alguns fatores identificados como a comunicação efetiva, melhoram a dinâmica organizacional envolvida no cuidado com o paciente oncológico, sendo esse um dos fatores que contribuem para que a entrega da dose real seja a mais próxima possível da entrega da dose prescrita para o tratamento. As principais práticas de compartilhamento do conhecimento identificadas foram: revisão por pares, mentoring e storytelling. Conclui-se que os fatores organizacionais responsáveis por melhorarem o compartilhamento do conhecimento como o uso das estratégias evidenciadas neste estudo ajudam na garantia da reprodutibilidade diária do tratamento, consequentemente, na melhora da qualidade de vida do paciente oncológico.

Biografia do Autor

Patrícia Fernanda Dorow, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Cataria

Graduação em Radiologia. Mestre e Doutora em Engenharia e Gestão do Conhecimento EGC/UFSC. Professora do Programa de Graduação em Radiologia no Instituto Federal de Santa Catarina e do Mestrado em Proteção Radiológica IFSC. Atuou como pesquisadora no Núcleo de Estudos em Inovação, Gestão e Tecnologia da Informação. Atualmente é integrante do grupo de pesquisa Núcleo de Gestão para a SustentabilidadeNGS/UFSC. Possui interesse na área do Radiodiagnóstico e Compartilhamento do Conhecimento

Downloads

Publicado

2019-02-27