Diagnóstico do loxoscelismo no município de Ibirama, Santa Catarina, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2019.011702

Palavras-chave:

Aranha-marrom, Bioética ambiental, Saúde global.

Resumo

Objetivou-se diagnosticar o loxoscelismo no município de Ibirama, Santa Catarina, bem como a partir do conhecimento da estrutura das populações das aranhas e da epidemiologia dos acidentes balizar medidas preventivas por meio do diálogo entre os atores envolvidos, intermediados pela bioética ambiental, na busca por soluções consensuais e estímulo para protagonismo e criticidade dos cidadãos. A amostragem de substratos naturais e antrópicos da área urbana e rural resultaram em 68 indivíduos, sendo 93,5% relativos à Loxosceles laeta e 6,5% à L. intermedia, predominando jovens solitários (54,4%), no intradomicílio (91,2%) da área urbana (69,1%). A alta taxa de incidência de loxoscelismo (50,2 casos/10 mil habitantes/2007-2010) em Ibirama representou padrão atípico quando comparado a outros municípios, assim como o padrão dos acidentes notificados pelas autoridades de saúde, demandando uma intervenção urgente e eficaz. A prevenção ao loxoscelismo necessita de comunicação sem tuídos entre a academia, órgãos gestores e comunidade, para se compreender como proceder com efetividade, ética e sustentabilidade, no intuito de prover um ambiente bom para todos.

Biografia do Autor

Marta Luciane Fischer, PUC PR

Biologa

Mestre e doutora em zoologia

Pos dputora em ecologia quimica

Docente do curao de ciências biológicas  pucpr

Docente mestrado em bioetica pucpr

Downloads

Publicado

2019-02-27