Propriedade antimicrobiana e potencial citotóxico in vitro do gel de Aloe vera: uma discussão sobre o uso em queimaduras

Autores

  • Julliany Lopes Dias Universidade Federal do Tocantins
  • Gabriela Eustáquio Lacerda Universidade Federal do Tocantins
  • Jhonatha Barros Cabral Universidade Federal do Tocantins
  • Juliana Fonseca Moreira Universidade Federal do Tocantins
  • Tiago Dias Instituto Federal do Tocantins
  • Guilherme Nobre Lima do Nascimento Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2018.044601

Palavras-chave:

Aloe, Queimaduras, Medicina Tradicional.

Resumo

Estudo experimental que teve por objetivo avaliar a propriedade antimicrobiana e o potencial citotóxico do gel da Aloe vera, a fim de discutir seu uso tópico em queimaduras. Para tanto, foram coletadas na cidade de Palmas-TO folhas da A. vera. O gel obtido após processamento das folhas foi dividido em dois grupos in natura (Amostra A) e liofilizado (Amostra B). A propriedade antimicrobiana foi realizada pelo método de macrodiluição em ágar e microdiluição em caldo para determinação da concentração inibitória mínima (CIM) e da concentração bactericida mínima (CBM), para microrganismos comumente identificados em lesões infectadas de indivíduos queimados. O ensaio de fragilidade osmótica eritrocitária (FOE) foi realizado para avaliação da citotoxicidade. Os resultados sugerem que a Aloe vera possui atividade antimicrobiana de caráter bacteriostática para S. aureus, E. cloacae, A. baumanii, P. aeuruginosa, E. coli e C. albicans, tanto na forma in natura como liofilizada. Quanto à citotoxicidade, não houve taxa de hemólise significativa (p < 0,05), bem como deformidade em membrana celular, que evidenciasse risco tóxico no uso do gel da planta para as concentrações máximas testadas 100% in natura e 20 mg/ml do extrato do gel liofilizado. No que tange ao uso popular no tratamento de queimaduras, as evidências deste estudo corroboram para a segurança do uso tópico. Entretanto, mais estudos de como ocorre a absorção e metabolização devem ser realizados.

 

Biografia do Autor

Julliany Lopes Dias, Universidade Federal do Tocantins

http://lattes.cnpq.br/0671553467736811

Downloads

Publicado

2018-05-18

Edição

Seção

Artigos