Procedimento metodológico para análise da distribuição da chuva e extrato do balanço hídrico no semiárido: estudo de caso

Autores

  • Maria Gabriela Queiroz Universidade Federal de Viçosa
  • Thieres George Freire da Silva Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • George do Nascimento Araújo Júnior Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Alexandre Maniçoba da Rosa Ferraz Jardim Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Marcelo José da Silva Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Carlos André Alves de Souza Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2018.030201

Palavras-chave:

variabilidade climática, probabilidade, semiárido

Resumo

Para a região Semiárida, informações das condições hídricas são indispensáveis no estabelecimento de estratégias de manejo da produção agrícola. Assim, objetivou-se definir um procedimento metodológico para análise da variabilidade e anomalia da chuva e do extrato do balanço hídrico climatológico sequencial (BHCS), e suas tendências de mudanças ao longo do tempo. Para tal, foram usados dados de chuva do município de Carnaíba, referente à série de 1965 a 2006 e posteriormente submetidos à estatística descritiva, sendo proposta uma metodologia para detectar variabilidades e anomalias climáticas pelos desvios da precipitação pluviométrica. Em seguida, procedeu-se com análise de tendências dos dados anuais e mensais, sendo significativos desde que p<0,10. Os resultados revelaram que a maior precipitação anual foi de 1921,5 mm, e a menor de 49,6 mm. Houve tendência significativa de redução da precipitação apenas para o mês de junho (p<0,05) e para os valores anuais (p<0,10). Diagnosticou-se que 45% dos anos foram enquadrados na classe “Anos Normais”, e que nos meses de agosto a outubro, o número de anomalias inferiores foi maior que 50%. Em relação ao BHCS, apenas os componentes déficit hídrico e retirada de água do solo apresentaram tendências significativas. Verificou-se que, entre os anos de 1965 e 2006, os eventos de variabilidade e anomalia climática inferiores foram eventos mais frequentes, todavia, se devem a sua ocorrência nos meses mais secos e que houve oscilações anuais e mensais dos componentes do BHCS, indicando alta variabilidade do regime pluviométrico local.

Biografia do Autor

Maria Gabriela Queiroz, Universidade Federal de Viçosa

http://lattes.cnpq.br/2053330973064133

Thieres George Freire da Silva, Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco

 http://lattes.cnpq.br/0213450385240546

George do Nascimento Araújo Júnior, Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco

http://lattes.cnpq.br/5791193545535080

Alexandre Maniçoba da Rosa Ferraz Jardim, Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco

http://lattes.cnpq.br/9981205244282499

Marcelo José da Silva, Universidade Federal do Vale do São Francisco

http://lattes.cnpq.br/8020561417743350

Carlos André Alves de Souza, Unidade Acadêmica de Serra Talhada, Universidade Federal Rural de Pernambuco

 http://lattes.cnpq.br/0164637158859043

Downloads

Publicado

2018-04-30