Otimização de parâmetros operacionais do pré-tratamento da palha de cana-de-açúcar

Autores

  • Martha Suzana Rodrigues dos Santos-Rocha UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS
  • Bruna Pratto UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS
  • Renata Maria Rosas Garcia Almeida UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS
  • Antonio José Gonçalves da Cruz UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2017.034203

Palavras-chave:

palha de cana-de-açúcar, otimização, pré-tratamento sequencial, pré-tratamento hidrotérmico, bioetanol

Resumo

O compromisso de atender as necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de suprir as necessidades das gerações futuras, torna a diversificação da matriz energética brasileira e mundial fator cada vez mais compulsório. Diante disso, o uso de biomassas lignocelulósicas para obtenção de combustíveis mais limpos do ponto de vista ambiental é amplamente discutido na atualidade. O etanol combustível pode ser obtido a partir de fontes alternativas de energia, como as biomassas lignocelulósicas. Esse tipo de matéria-prima possui elevado teor de açúcares fermentescíveis em sua composição. Porém, esses não se encontram diretamente disponíveis, sendo necessárias etapas adicionais para sua obtenção. Este trabalho teve como objetivo a otimização da etapa de pré-tratamento da palha de cana-de-açúcar, por meio de um delineamento experimental 22 com três repetições no ponto central. As variáveis de estudo foram: a razão palha/água (m/v) na etapa de pré-tratamento hidrotérmico e a temperatura reacional do pré-tratamento alcalino sequencial ao hidrotérmico. O estudo mostrou que a deslignificação não promoveu melhora significativa na conversão da celulose em glicose na hidrólise enzimática, o que não justifica a realização dessa etapa adicional, nas condições avaliadas. Já o pré-tratamento hidrotérmico apresentou bons resultados, alcançando na etapa de hidrólise conversões superiores a 85%, em especial para as razões palha/água 1:6,7 e 1:20 (m/v).

Biografia do Autor

Martha Suzana Rodrigues dos Santos-Rocha, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

Doutoranda em Engenharia Química pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal de São Carlos, subárea Engenharia Bioquímica

Bruna Pratto, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

Doutoranda em Engenharia Química pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal de São Carlos, subárea Engenharia Bioquímica

Renata Maria Rosas Garcia Almeida, UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

Professora no Departamento de Engenharia Química da Universidade Federal de Alagoas

Antonio José Gonçalves da Cruz, UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

Professor no Departamento de Engenharia Química da Universidade Federal de São Carlos

Downloads

Publicado

2017-06-09