Caracterização de óleos vegetais da Amazônia por espectroscopia de absorção

Autores

  • Luciena dos Santos Ferreira Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA
  • Manoel Roberval Pimentel Santos Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA
  • Leidiane Cavalcante Figueira Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA
  • Khayth Marronny Rabelo Nagata Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA
  • Claúdio Márcio Rocha Remédios Universidade Federal do Pará - UFPA
  • Francisco Ferreira de Sousa Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará -UNIFESSPA

DOI:

https://doi.org/10.14808/10.14808/sci.plena.2017.012704

Palavras-chave:

óleos vegetais, Amazônia, espectroscopia de absorção

Resumo

Os óleos e resinas vegetais apresentam-se como uma opção atrativa de exploração devido à grande variabilidade de espécies oleaginosas que ocorrem ao longo de toda a bacia amazônica e também por possuírem inúmeras possibilidades de uso que vão desde suas aplicações na indústria de alimentos, cosméticos e fármacos à indústria energética. Devido às inúmeras possibilidades de uso destes materiais vegetais, o estudo destes materiais têm se mostrado imprescindível. Este trabalho apresenta o estudo de caracterização de alguns óleos vegetais que ocorrem na Amazônia através de espectroscopia de absorção na região UV-VIS. Foram analisadas amostras de óleo de Buriti (Mauritia flexuosa), Copaíba (Copaifera reticulata), Inajá (Maximiliana Maripa) e Urucuri (Attalea phalerata). As medidas de absorção foram feitas na faixa de 250 a 700 nm com passos de 1 (um) nanômetro e tempo de integração de 0,5 segundos. As medidas foram feitas à temperatura ambiente (25 °C) e as amostras não necessitaram da adição de solventes. Apenas os óleos de Buriti e Inajá apresentaram ambos, bandas de absorção nas regiões UV e VIS do espectro sugerindo, qualitativamente, a presença de moléculas de tocoferol, ácido oleico e/ou triglicerídeos, mas também a presença de moléculas de carotenoides e clorofila na composição dos mesmos. Para os demais óleos vegetais ocorreram bandas de absorção apenas para λ < 400 nm, sugerindo também a presença de moléculas de tocoferol, ácido oleico e/ou triglicerídeos, mas, por outro lado, indicando a possível degradação das moléculas de carotenoides para estes materiais vegetais.

Biografia do Autor

Luciena dos Santos Ferreira, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Mestre em Ciências Ambientais e membro do Laboratório de Síntese e Caracterização de Materiais da Universidade Federal do Oeste do Pará

Manoel Roberval Pimentel Santos, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Professor Adjunto I da Universidade Federal do Oeste do Pará, atua como Professor de Pós-graduação e é membro do Laboratório de Síntese e Caracterização de Novos Materiais da Universidade Federal do Oeste do Pará.

Leidiane Cavalcante Figueira, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Mestre em Ciências Ambientais e membro do laboratório de Síntese e Caracterização de Novos Materiais da Universidade Federal do Oeste do Pará.

Khayth Marronny Rabelo Nagata, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Professora Assistente A da Universidade Federal do Oeste do Pará.

Claúdio Márcio Rocha Remédios, Universidade Federal do Pará - UFPA

Professor adjunto da Universidade Federal do Pará e membro permanente do Programa de Pós-graduação em Física (PPGF) da Universidade Federal do Pará.

Francisco Ferreira de Sousa, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará -UNIFESSPA

Professor Efetivo da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará-UNIFESSPA

Downloads

Publicado

2017-01-13

Edição

Seção

I Workshop sobre pesquisas na Amazônia e I encontro do MNPEF da Unifesspa