Técnica field in field em planejamentos bidimensionais para irradiação de cérebro total

Autores

  • André Lima Souza Castro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Tarcísio Passos Ribeiro Campos Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2016.094801

Palavras-chave:

radioterapia, cerebro total, field in field

Resumo

A radioterapia constitui a modalidade clínica mais utilizada para tratar mestástases cerebrais, tipo mais comum de tumores secundários de mama, pulmão e melanomas. Os protocolos frequentemente utilizam doses diárias elevadas e, dependendo da técnica de irradiação empregada há elevada probabilidade de complicações em tecidos saudáveis. Com o propósito de minimizar os efeitos adversos, é importante a interpretação dosimétrica do planejamento radioterápico tridimensional por meio de imagens tomográficas ou, no caso de simulações 2D, pelo emprego de técnicas que otimizam a distribuição de dose aumentando a homogeneidade. O estudo objetivou comparar os planejamento 2D e conformacional 3D para a irradiação total de cérebro e verificar a evolução desses planejamentos através das técnica “field-in-field”. A metodologia consistiu em simular o planejamento bidimensional, reproduzi-lo em um conjunto de imagens tomográficas e compará-lo com o plano conformacional, tanto para técnica de dois campos quanto para a de quatro campos “field-in-field”. Os resultados mostraram que não há diferenças significativas entre planejamentos 2D e 3D para irradiação de cérebro total, e que a “técnica field in field” melhora sensivelmente a distribuição de dose no volume cerebral comparada à técnica de dois campos. Concluiu-se que a custo efetividade do tratamento é ótima para os 4 campos descritos e que a tomografia de planejamento não é essencial para o caso clinico abordado.

Downloads

Publicado

2016-09-27