Inoculação artificial de Fusarium oxysporum em sementes de Phaseolus vulgaris

Autores

  • Gustavo Fonseca Rodrigues Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Patricia Migliorini Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Emanuele Junges Instituto Federal Farroupilha/IFF
  • Raimunda Nonata Oliveira da Silva Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Henrique Luis Chagas Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Anita Nunes Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Jonas Albandes Gularte Universidade Federal de Pelotas/UFPel
  • Lilian Vanussa Madruga de Tunes Universidade Federal de Pelotas/UFPel

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2016.070202

Palavras-chave:

feijão, murcha de fusário, métodos de inoculação

Resumo

Inúmeras doenças que afetam a cultura do feijão são transmitidas por sementes para tal, são importantes estudos com sementes infectadas que produzam plântulas viáveis. Dessa forma, o objetivo do trabalho foi testar diferentes métodos de inoculação de Fusarium oxysporum em sementes de feijão e verificar seu efeito no desenvolvimento das plântulas. Utilizaram-se sementes da cv. BRS Expedito, as quais foram inoculadas pelos métodos de suspensão de esporos, de contato com restrição hídrica e inoculação do substrato com discos de BDA contendo micélio do fungo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com oito repetições. Foram feitas avaliações de emergência, comprimento e massa seca de parte aérea e incidência de sintomas da doença em caule e folha. A inoculação do patógeno Fusarium oxysporum em sementes de feijão influencia negativamente o desenvolvimento das plântulas. O método de suspensão de esporos produz sintomas da doença com o menor comprometimento do desenvolvimento das plântulas.

Biografia do Autor

Gustavo Fonseca Rodrigues, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Graduando em Agronomia da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas

Patricia Migliorini, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência & Tenologia de Sementes, Universidade Federal de Pelota, 96010-610, Pelotas-RS, Brasil

Emanuele Junges, Instituto Federal Farroupilha/IFF

Professora Doutora no departamento de Defesa Fitossanitária, Instituto Federal Farroupilha, 97420-000, São Vicente do Sul, RS, Brasil

Raimunda Nonata Oliveira da Silva, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência & Tenologia de Sementes, Universidade Federal de Pelota, 96010-610, Pelotas-RS, Brasil

Henrique Luis Chagas, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Graduando em Agronomia da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas

Anita Nunes, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Graduando em Agronomia da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas

Jonas Albandes Gularte, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Graduando em Agronomia da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, da Universidade Federal de Pelotas

Lilian Vanussa Madruga de Tunes, Universidade Federal de Pelotas/UFPel

Professora Doutora Eng. Agrônoma, do Programa de Pós Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes da Universidade Federal de Pelotas

Downloads

Publicado

2016-07-20

Edição

Seção

Artigos