Perfil hematológico e bioquímico plasmático de camundongos após ingestão da planta Arrabidaea chica

Autores

  • Fernanda Aires Guedes Ferreira Universidade do Estado de Minas Gerais, Faculdade de Educação http://orcid.org/0000-0002-5474-0704
  • Fernando César Silva Universidade do Estado de Minas Gerais, campus Divinópolis
  • Christopher Mateus Carvalho Universidade Federal de Minas Gerais
  • Jaqueline Campos Costa Universidade Federal de Minas Gerais
  • Júlia Maria Resende Ferreira Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2016.091005

Palavras-chave:

Arrabidaea chica, hematologia, camundongo.

Resumo

A planta Arrabidaea chica (Humb. & Bonpl.) B. Verl. (família Bignoniaceae), conhecida como pariri é uma planta nativa das florestas tropicais e conhecida pelo seu amplo uso na medicina popular. O objetivo deste estudo foi verificar a ação de A. chica no aumento de parâmetros hematológicos e bioquímicos plasmáticos de camundongos (n=24) Swiss (Mus musculus) através do uso contínuo (ad libitum), durante 45 dias, de extratos aquoso e etanólico das folhas de A. chica. Ao fim do teste, foi feita uma avaliação clínica para avaliar condições físicas e a massa corporal dos camundongos, após o sangue dos animais foram coletados por punção cardíaca. Os resultados mostraram aumento (p<0,05) de hemácias, hemoglobina e plaquetas. O extrato etanólico apresentou maior eficiência que o extrato aquoso, apresentando aumento de 9,2% na concentração de hemácias, 4,4% na concentração de hemoglobina e 29,5% na concentração de plaquetas. Quanto ao perfil bioquímico plasmático, os camundongos apresentaram aumento (p<0,05) da enzima fosfatase alcalina indicando possível hepatoxicidade. Os resultados indicam A. chica como uma aliada fitoterápica durante tratamento de doenças sanguíneas.

Biografia do Autor

Fernanda Aires Guedes Ferreira, Universidade do Estado de Minas Gerais, Faculdade de Educação

Mestre Em Ecologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Ciências Biológicas.

Fernando César Silva, Universidade do Estado de Minas Gerais, campus Divinópolis

Mestre e Doutor em Química pelo Departamento de Química, Núcleo de Estudos de Plantas Medicinais da Universidade Federal de Minas.

Christopher Mateus Carvalho, Universidade Federal de Minas Gerais

Bolsista de Iniciação Científica pelo Departamento de Química, Núcleo de Estudos de Plantas Medicinais da Universidade Federal de Minas.

Jaqueline Campos Costa, Universidade Federal de Minas Gerais

Bolsista de Iniciação Científica pelo Departamento de Química, Núcleo de Estudos de Plantas Medicinais da Universidade Federal de Minas.

Júlia Maria Resende Ferreira, Universidade Federal de Minas Gerais

Bolsista de Iniciação Científica pelo Departamento de Química, Núcleo de Estudos de Plantas Medicinais da Universidade Federal de Minas.

Downloads

Publicado

2016-09-27