O modelo de infecção intradérmica por Staphylococcus aureus: uma alternativa para o entendimento do recrutamento de células para o sítio de infecção?

Robson Amaro Augusto da Silva, Maria P.L. Galantini, Percillia V. S. Oliveira, Jamile R Silva, Ivanéia V Nunes, Lício F. A. A. Ferreira, Lucimara A.S. Pereira, Lucas M Marques, Tiana B Figueiredo

Resumo


Atualmente, o patógeno Staphylococcus aureus resistente a meticilina (MRSA) vem se tornado objeto de vários estudos, devido às altas taxas de morbidade e mortalidade. No entanto, pouco se sabe sobre a reposta imune associada ao controle desta infecção. Assim, o objetivo do presente estudo foi investigar o efeito da imunização intradérmica com MRSA e a resposta inflamatória no sitio de infecção. Para a realização dos experimentos foram utilizados camundongos A/J que foram imunizados com cepa de MRSA. Após o desafio, foram coletadas amostras do sangue, soro, linfonodo drenante e orelha para análises histopatológicas. A partir do esfregaço sanguíneo, foi observada neutrofilia nos grupos desafiados com MRSA. A análise histopatológica mostrou infiltrado inflamatório em todos os grupos estudados. Foi observado também que, a imunização intradérmica promove hiperplasia no linfonodo drenante, entretanto, não foram observadas diferenças nos perfis de citocinas pró-inflamatórias nos grupos estudados. Conclui-se que há uma predominância de neutrófilos no sítio de estudo e que a hiperplasia observada no linfonodo pode ser correlacionada com o aumento no número de linfócitos Th17, que poderiam contribuir para a diminuição da carga bacteriana neste órgão. 


Palavras-chave


Staphylococcus aureus, imunização, neutrófilo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14808/sci.plena.2015.126201

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.