Concepções de licenciandos do PIBID de Química sobre o papel pedagógico da experimentação

Gustavo Bizarria Gibin, Sérgio Antônio Marques de Lima

Resumo


A experimentação no ensino de Ciências e de Química pode ser utilizada com diferentes objetivos pedagógicos e em diversas abordagens. Professores e alunos muitas vezes apresentam visões ingênuas sobre o papel da experimentação no ensino de Química e isto influencia em sua prática docente. Diante desse contexto, o objetivo do trabalho foi investigar as concepções de alunos de graduação em Licenciatura em Química (Unesp, campus Presidente Prudente) e participantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) sobre o papel da experimentação no ensino. Ao longo do ano letivo de 2014 foram realizados encontros periódicos para acompanhamento do desenvolvimento do projeto e para discussão de textos acadêmicos relacionados ao ensino de Química. Em um dos encontros o tema discutido foi o papel pedagógico da experimentação, e na sequência foi aplicado um questionário escrito dissertativo sobre esse assunto. As principais concepções observadas foram o auxílio à aprendizagem e a motivação dos estudantes. Pontualmente surgiram algumas concepções distorcidas, como a comprovação de teorias e a motivação intrínseca dos estudantes. Portanto, apesar do uso de experimentos por esses estudantes no desenvolvimento dos projetos durante o ano letivo, foi constatado que ainda há visões distorcidas sobre a experimentação, o que demonstra a importância de uma discussão aprofundada sobre o tema, com uso de conceitos da História e Filosofia da Ciência.

Palavras-chave


PIBID; experimentação; concepções

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.