Avaliação de morbidade na área de influência da usina hidrelétrica Cana Brava - GO

Autores

  • Lays Karolina Soares da Cruz PUC - GO
  • Nelson Jorge da Silva Júnior PUC - GO
  • Susy Ricardo Lemes PUC - GO
  • Dwight Assis Chaves PUC - GO
  • Lilhian Alves de Araujo PUC - GO e UFG
  • Paulo Roberto de Melo Reis PUC - GO

Palavras-chave:

Hidrelétrica, Área de Influência, Morbidade, Cana Brava.

Resumo

Este estudo teve como objetivo fazer uma avaliação da possível interferência do processo de implantação da Usina Hidrelétrica (UHE) Cana Brava nos casos de morbidade nos municípios de Cavalcante, Colinas do Sul e Minaçu, que compõe sua área de influência direta. Foram considerados dados relativos às condições de morbidade e o perfil de uso do solo dos três municípios. As informações analisadas foram extraídas das fontes oficiais existentes, DATASUS, SINAN, INPE, IBGE, PROBIO e Naturae. As análises dos resultados foram feitas por meio de teste estatístico (ANCOVA). O município de Cavalcante apresentou taxas crescentes de morbidade no período de 1995 a 2006, com queda no ano de 2007. O município de Colinas do Sul apresentou dados de morbidade compatíveis com a diminuição da população no período de 1995 a 1997. A partir desse período as taxas de morbidade se elevaram, superando as taxas de crescimento populacional, representando até 7,9 e 8,9% da população. O município de Minaçu apresentou, no período de 1995 a 1998, taxas de morbidade menores às de crescimento populacional, elevando-se nos anos seguintes chegando a representar 7% da população. O perfil do uso do solo mostra a intensificação das atividades agropecuárias ao longo dos anos nos três municípios estudados. Considerando os fatores discutidos, sugere-se que a implantação da UHE Cana Brava possa ter de alguma forma, influenciado na ocorrência de morbidades nos municípios de sua área de influência direta.

Biografia do Autor

Lays Karolina Soares da Cruz, PUC - GO

Possui graduação em Biologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2009) e mestrado em Ciências Ambientais e Saúde pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2012). Cursando doutorado em Genética e Biologia Molecular pela Universidade Federal de Goiás (2013 a 2016).

Nelson Jorge da Silva Júnior, PUC - GO

ossui graduação em Estudos Sociais Licenciatura Curta (1982), graduação em História Licenciatura Plena (1983), graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica (1986), e graduação em Biologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1987) e doutorado em Zoologia - Brigham Young University (1995). Atualmente é professor titular da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), ná área de zoologia de vertebrados, com ênfase em sistemática de serpentes. Tem também experiência na área de biologia da conservação, em levantamentos e monitoramentos faunísticos, atuando principalmente nos seguintes temas: biodiversidade, serpentes, impacto ambiental e toxinas animais.

Susy Ricardo Lemes, PUC - GO

Possui graduação em Biologia nas modalidades Bacharelado e Licenciatura. É especialista em Epidemiologia, Vigilância e Gestão em Saúde Pública pelo INCURSOS. Possui mestrado em Genética pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Atua no Laboratório de Estudos Experimentais e Biotecnológicos-MCAS-PUC GO em pesquisas de mutagenecidade e angiogênese/antiangiogênese envolvendo plantas medicinais.

Dwight Assis Chaves, PUC - GO

Possui graduação em Farmácia pelo Centro Universitário de Votuporanga (2011). Atualmente é mestrando da Pontifícia Universidade Católica de Goiás na área de Ciências Ambientais e Saúde.É membro do Laboratório de Estudos Experimentais e Biotecnológicos-MCAS-PUC GO, trabalha com pesquisas relacionadas a plantas, frutos e outros materiais vegetais do cerrado indutores de angiogênese e/ou antiangiogênese.

Lilhian Alves de Araujo, PUC - GO e UFG

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Paulista (2007) e Especialização em Centro Cirúrgico, SRPA e CME pela PUC Goiás (2010). Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Médico-Cirúrgica e Biotecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas:centro cirúrgico, sepse, plantas medicinais e angiogênese. Experiência em docência universitária. Mestre em Ciências Ambientais e Sáude pela PUC-GO. Doutoranda em Biotecnologia e Biodiversidade pela UFG, aréa de concentração em biotecnologia, atualmente bolsista CAPES.

Paulo Roberto de Melo Reis, PUC - GO

Possui graduação em Biomedicina (Ciências Biológicas - Modalidade Médica) pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1983). Especialista em Laboratório Clínico pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1993) e pela Academia de Ciência & Tecnologia São José do Rio Preto-SP (2001). Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (2004) e Doutorado em Biologia, área de concentração: Biologia Celular e Molecular, pela Universidade Federal de Goiás (2009). Professor Adjunto-I (01/02/2013) de Hematologia Laboratorial do Departamento de Biomedicina da Pontifícia Universidade Católica de Goiás - PUCGo. Funcionário Público Estadual, lotado na Superintendência de Políticas de Atenção Integral a Saúde (SPAIS) - Gerência de Programas Especiais Coordenação Estadual DST/AIDS - Secretaria de Saúde do Estado de Goiás. Tem experiência na área de Hematologia Laboratorial e Genética, com ênfase em Genética Humana e Médica, atuando principalmente nos seguintes temas: anemias hereditárias (hemoglobinas variantes e talassemias), pesquisa plantas, furtos e outros materiais vegetais do cerrado indutoras de angiogênese e/ou antiangiogênese.

Downloads

Publicado

2015-05-09

Edição

Seção

Artigos