Avaliação de atividade mutagênica de amostras de própolis vermelha do Estado de Sergipe (Brasil) pelo Teste de Mutação e Recombinação Somática em Drosophila melanogaster

Autores

  • Bruno Lassmar Bueno Valadares UFS
  • Melina Vieira Alves UFS
  • André Luiz Pinto Santos UFS
  • Milena Nascimento Cardoso UFS

Palavras-chave:

SMART, produtos naturais, Apis mellifera

Resumo

A própolis é uma substância resinosa coletada por abelhas (Apis mellifera) com finalidade de assepsia e construção de estruturas na colônia. É composta por uma mistura complexa de substâncias de origem vegetal, sendo influenciada pela flora local e época (estação do ano) de coleta. A própolis vermelha recebe essa denominação devido à sua coloração, sendo encontrada principalmente na região nordeste do Brasil. É utilizada na medicina popular, tendo diversas propriedades biológicas cientificamente comprovadas. O presente estudo foi realizado com objetivo de avaliar possíveis efeitos mutagênicos/recombinogênicos de amostras de própolis vermelha originárias do Estado de Sergipe pelo Teste de Mutação e Recombinação Somática (Somatic Mutation and Recombination Test - SMART). Larvas de Drosophila melanogaster de terceiro estágio, provenientes dos cruzamentos padrão (Standard cross - ST) e de alta ativação metabólica (High bioactivation cross - HB), foram tratadas com diferentes concentrações (0,125; 0,25; 0,5 mg/mL) de extrato aquoso de própolis vermelha (EAPV). Como controles negativo e positivo foram utilizados, respectivamente, água destilada e uretano (URE) (0,891 mg/mL). Foram observadas as frequências de manchas de pelos mutantes nas asas dos adultos emergentes, não sendo encontrados efeitos mutagênicos e recombinogênicos de EAPV nas condições experimentais utilizadas nos descendentes de ambos os cruzamentos. Considerando a importância da própolis, devido às suas propriedades terapêuticas, novos estudos devem ser realizados em diferentes condições experimentais para reforçar esses resultados, assim como avaliar seus possíveis efeitos antimutagênicos/antirecombinogênicos.

Downloads

Publicado

2015-01-09