Produção de mudas de moranga e abóbora irrigadas com água biossalina

José E.S.B. Silva, Laise G. Barbosa, Francisca Z. Silva, Teonis B. Silva, Janete R. Matias, Renata C. Ribeiro, Carlos A. Aragão, Gherman G.L. Araújo, Bárbara F. Dantas

Resumo


O uso de águas salina na agricultura é adotado como alternativa a escassez de águas de melhor qualidade. A utilização de efluentes de piscicultura na produção de mudas de hortaliças é uma atividade rentável, além de promover benefícios ambientais. A produção de mudas de abóboras apresenta benefícios em relação à semeadura direta, pois o baixo vigor das sementes prejudica a produtividade da cultura. Assim, o objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade de mudas de moranga e abóbora jacarezinho irrigadas com biossalina. O experimento foi conduzido em casa de vegetação e em delineamento experimental inteiramente casualizado, com cinco tratamentos (0, 33, 50, 67 e 100% de água biossalina) e quatro repetições. Aos 14 dias após a semeadura, foram avaliados o porcentagem de emergência, comprimento de parte aérea e raiz, massa fresca e seca de parte aérea e raiz; e condutividade do substrato. A água biossalina pode ser utilizada nas concentrações de 33 e 50 %, para produção de moranga e jacarezinho, respectivamente, sem afetar o seu desenvolvimento.


Palavras-chave


Cucurbita maxima Duchesne, C. moschata Duchesne, salinidade, água residuária

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.