Produção de mudas de moranga e abóbora irrigadas com água biossalina

Autores

  • José E.S.B. Silva
  • Laise G. Barbosa
  • Francisca Z. Silva
  • Teonis B. Silva
  • Janete R. Matias
  • Renata C. Ribeiro
  • Carlos A. Aragão
  • Gherman G.L. Araújo Embrapa
  • Bárbara F. Dantas Embrapa Semiárido

Palavras-chave:

Cucurbita maxima Duchesne, C. moschata Duchesne, salinidade, água residuária

Resumo

O uso de águas salina na agricultura é adotado como alternativa a escassez de águas de melhor qualidade. A utilização de efluentes de piscicultura na produção de mudas de hortaliças é uma atividade rentável, além de promover benefícios ambientais. A produção de mudas de abóboras apresenta benefícios em relação à semeadura direta, pois o baixo vigor das sementes prejudica a produtividade da cultura. Assim, o objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade de mudas de moranga e abóbora jacarezinho irrigadas com biossalina. O experimento foi conduzido em casa de vegetação e em delineamento experimental inteiramente casualizado, com cinco tratamentos (0, 33, 50, 67 e 100% de água biossalina) e quatro repetições. Aos 14 dias após a semeadura, foram avaliados o porcentagem de emergência, comprimento de parte aérea e raiz, massa fresca e seca de parte aérea e raiz; e condutividade do substrato. A água biossalina pode ser utilizada nas concentrações de 33 e 50 %, para produção de moranga e jacarezinho, respectivamente, sem afetar o seu desenvolvimento.

Downloads

Publicado

2014-10-12