Identificação das possíveis interações de fármaco – alimento administrados por via oral em pacientes hospitalizados

Débora Aragão Melo, Ana Soares Nascimento, Carlos Adriano Santos, Wellington Barros Silva, Aurélia Santos Faraoni

Resumo


Atualmente, a avaliação de interações medicamentosas é uma atividade clínica cada vez mais importante dentro dos hospitais. Neste contexto, as interações fármaco-alimento ganham destaque visto a potencialidade de causar prejuízos à saúde dos pacientes internados. Sendo assim, o presente estudo tem como objetivo identificar as possíveis interações fármaco-alimento ocorridas no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS). A pesquisa foi um estudo observacional, transversal, prospectivo dos prontuários dos pacientes internados nas unidades clínica e psiquiátrica do HU-UFS. Durante o estudo foram analisadas 30 prescrições obtidas dos prontuários, dos quais 100% não continham orientação ou descrição do prejuízo das possíveis interações com a dieta. Cada prontuário analisado tinha uma média de 9,56 medicamentos por paciente. Destes medicamentos, 20 possuem possíveis interações com alimentos, sendo que a média de interações fármaco-alimento entre os prontuários analisados foi de 3,46. Diante do exposto, podemos inferir a necessidade de ações que promovam a interdisciplinaridade entre os profissionais de saúde, no intuito de detectar e prevenir as possíveis interações fármaco alimento.

 


Palavras-chave


Farmacovigilância; interações alimento-droga; pacientes hospitalizados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.