Mineralogia das Vênulas Brancas e do Material Afanítico Preto em Planos de Fraturas em Sodalititos de Cor Azul do Stock Itajú do Colônia, Bahia

Adjanine Carvalho Santos Pimenta, Herbet Conceição, Maria Lourdes Silva Rosa

Resumo


O Stock Itajú do Colônia é um corpo elipsóide, com aproximadamente 2 km2, localizado na Província Alcalina do Sul do Estado da Bahia. Atualmente este stock constitui a maior reserva brasileira de sodalita-sienitos e sodalititos de cor azul intensa, a qual é explotada com fins ornamentais e para confecção de peças de joalheria. A presença de vênulas brancas é um aspecto indesejável nessas rochas por dificultarem o seu processamento, depreciando o seu valor comercial. A granulação muito fina e o aspecto friável dessas vênulas brancas foram fatores relevantes na escolha do procedimento denominado Método do Pó, da técnica de Difratometria de Raios–X, para identificar os minerais constituintes das vênulas, assim como do material poroso e afanítico escuro presentes em planos de fraturas nessas rochas de cor azul. Os minerais identificados foram Tetranatrolita [Na2(Al2Si3O10)2(H2O)], Paranatrolita [Na2(Al2Si3O10)3(H2O)], Gonnardita [Na2CaAl4Si6O20], Halloysita [Al2Si2O5(OH)4], Fluorannita [KFe3AlSi3O10F2], Illita [(K,H2O) (Al,Mg,Fe)2 (Si, Al)4 O10(OH) 2(H2O)] e Glauconita [(K,Na) (Fe3+,Al, Mg)2 (Si,Al)4 O10(OH)2]. A mineralogia presente nas vênulas brancas e o material afanítico preto em planos de fraturas nessas rochas constituem uma paragênese de baixa temperatura (< 300 °C) resultante da precipitação de fluidos que interagiram com os minerais alcalinos precoces destas rochas (nefelina e sodalita).


Palavras-chave


Mineralogia, Sodalitito, Difratometria de Raios-X, Itaju do Colônia, Bahia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.