Isolamento de Enterobacter cowanii em tomates após irradiação gama

M. C. V. Vicalvi, E. G. Solidônio, M. A. Silva, G. R. da Silva, K. X.F.R. de Sena, W. Colaço

Resumo


O tomate é um dos frutos mais consumidos no mundo. Bactérias da família Enterobacteriaceae são responsáveis pelos grandes surtos de gastrenterites. A irradiação consiste num método físico que reduz as perdas eliminando organismos deteriorantes de alimentos. Diante disto, o objetivo deste trabalho foi identificar e determinar o perfil de resistência de bactérias da família Enterobacteriaceae a partir de tomates irradiados. Para isto, utilizaram-se três lotes contendo 80 tomates, divididos em controle e irradiados. As amostras foram embaladas e devidamente identificadas quanto à dose de irradiação aplicada. O material foi irradiado em fonte de cobalto-60 (6,060 kGy/h) com doses de 1,0; 1,5 e 2 kGy. Para a análise microbiológica os tomates foram cortados, sendo retiradas as cascas a fim de obter amostras pesando 25g. Cada amostra foi transferida a um Erlenmeyer contendo água esterilizada, o conjunto foi agitado mecanicamente. Alíquotas das águas de lavagem foram semeadas em meios seletivos e diferenciais. Após reisolamento, as colônias foram submetidas ao método de coloração de Gram, em seguida realizados os testes bioquímicos para identificação clássica. As provas de susceptibilidade a antibióticos foram realizadas segundo o CLSI (Clinical Laboratory Standard Institute). Foram isoladas três cepas de Enterobacter cowanii nas amostras de tomate irradiados com 1,0 kGy, não havendo presença de isolados nos tomates submetidos às demais doses. Quanto ao perfil de resistência, as linhagens identificadas foram resistentes à Ampicilina. A irradiação gama na dose de 1,5 e 2 kGy em tomates foi eficiente como também o micro-organismo isolado após irradiação não apresentou perfil de multirresistência.

Palavras-chave


Irradiação, Enterobacter cowanii, Perfil de resistência

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.