Determinação de metais em amostras de água dos diferentes estágios de tratamento em ETA’s da Região Metropolitana do Recife-PE, Brasil

A. M. Almeida, A. F. Nascimento, F. C. S. Silva, P. B. Silveira, C. A. Hazin, E. Valentim

Resumo


A água fornecida à população deve atender aos critérios de qualidade estabelecidos em normas nacionais e internacionais. Para alcançar estes padrões, as águas dos mananciais são submetidas, em geral, a processos de tratamento para eliminação de contaminantes. Entre estes contaminantes têm-se os metais que uma vez incorporados aos corpos d’água podem configurar um risco à saúde da população. Considerando este aspecto foram analisadas amostras de águas dos diferentes estágios de tratamento de Estações de Tratamento de Água (ETA’s) de municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR)-PE, visando observar a concentração presente de alguns metais e avaliar a eficiência do processo de remoção destes. Os metais foram determinados pela técnica de espectrometria de absorção atômica por chama. Os resultados obtidos para águas destinadas ao consumo apresentaram valores dentro do limite estabelecido pela Portaria 2914 do Mistério da Saúde, com exceção das concentrações de Al e Fe na ETA localizada na bacia Pernambuco-Paraíba. Nesta Estação também foram encontrados na água da descarga concentrações impróprias de Fe e Al, segundo o estabelecido na Resolução do CONAMA para o lançamento de efluentes. Uma avaliação da eficiência de remoção de metais na mesma demostrou que na etapa de floculação apresentou carências que possivelmente ocasionaram as inadequações do sistema. Desta forma, torna-se relevante uma avaliação dos fatores que podem interferir no processo de tratamento a fim de evitar danos à qualidade da água fornecida à população. Além disso, torna-se relevante uma avaliação do descarte da água de descarga do decantador até sua disposição final.

Palavras-chave


água, metais, Estação de Tratamento de Água

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.