Equações do movimento de suspensões particuladas com restrição de incompressibilidade

Antônio Santos Silva, Edilson Jesus Santos, Rogério Luz Pagano, Lucas Diego Mota Meneses, Carlos Philipe S Rocha

Resumo


Este trabalho, no contexto de meio poroso saturado com fluido, considera o movimento de suspensão particulada na qual as densidades do sólido e do fluido puros são constantes, cujas equações dos balanços são estabelecidas pela teoria contínua de misturas sólido-fluido sem reações químicas. Por conta das densidades constantes, que caracterizam restrição de incompressibilidade, cada tensor tensão é dado por uma parte arbitrária mais outra constitutiva, como também a força de interação, a energia de interação e a energia livre de Helmholtz. As partes arbitrárias foram determinadas com base em desigualdade entrópica, sob o princípio de que a soma das produções entrópicas das mesmas é nula para todo movimento compatível com a restrição de incompressibilidade. Como resultados, foi mostrado que tal princípio produz pressões arbitrárias diferentes para as fases sólida e fluida, e, além disso, causa grande influência nas equações dos balanços de quantidade de movimento linear, uma vez que surgem novos termos de interação. Neste sentido, o conjunto de equações obtido gera sistemas com formas diferentes para o movimento de suspensões particuladas, sendo cada sistema estabelecido pelo modo como são agrupados e interpretados os termos de pressões arbitrárias e interações arbitrárias.


Palavras-chave


suspensões particuladas, restrição de incompressibilidade, equações do movimento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.