Efeito do ferro nas propriedades estruturais e ópticas de nanopartículas de fosfato tricálcio para uso como filtro solar

Tatiana Santos de Araujo Batista, João Batista dos Santos-Filho, Vitória Karen Raimundo, João Vitor dos Santos Goto, Geovana Dresch Webler, Jandir Miguel Hickmann

Resumo


Diante do crescente aumento de indivíduos no mundo com câncer de pele, a ineficácia dos filtros solares e o seu alto-custo, esta pesquisa foi realizada com o intuito de produzir um ingrediente ativo, com capacidade de absorver os raios UV, sendo fotoestável, atóxico e com boa relação custo-benefício. O fosfato tricálcio é uma substância biocompatível e livre de qualquer toxidade, já o ferro tem a capacidade de absorver os raios UV. Deste modo, tornou-se interessante somar a atividade óptica do ferro com a biocompatibilidade do fosfato tricálcio para aplicação como filtro solar. O fosfato tricálcio dopado com ferro (β-FeTCP) foi produzido através do método de precipitação química preparando-se soluções de Ca(NO3)2.4H2O + Fe(NO3)3.9H2O adicionadas a (NH4)2HPO4. A solução de Fe(NO3)3.9H2O nas concentrações de 0,01; 0,05; 0,1 e 0,2 mol/L foram produzidas em triplicata. A reação foi conduzida à temperatura ambiente com agitação constante, mantendo o pH em 10,8 com adição de NH4OH. O material foi calcinado à 8000C/2 horas. As amostras foram caracterizadas pelas técnicas de difração de raios X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e absorção óptica (AO). Análises de DRX comprovaram a formação do material desejado. As micrografias de MEV mostraram a formação de partículas nanométricas constituídas por aglomerados heterogêneos. Análises de AO provaram  que o β–FeTCP absorve na região do UV, sendo a dopagem com 0,01mol/L de Fe3+ a que apresentou o melhor resultado. Assim, o β–FeTCP produzido neste trabalho é um candidato promissor para aplicação como filtro solar na forma de creme, maquiagens e outros.


Palavras-chave


Fosfato tricálcio, filtro solar, caracterização

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.