Carbono orgânico e atributos químicos do solo em florestas de Pinus taeda.

Autores

  • C. A. S. Morales Universidade Federal de Santa Maria
  • J. A. Albuquerque Universidade do Estado de Santa Catarina
  • J. A. Sampietro Universidade Federal de Santa Maria
  • B. P. Morales Universidade Federal de Santa Maria
  • J. A. de Almeida Universidade Federal de Santa Maria

Palavras-chave:

sítio florestal, atributos químicos do solo, manejo florestal

Resumo

A demanda por árvores no setor de celulose e papel é muito grande e o reflorestamento é a principal fonte deste recurso renovável. O presente estudo teve como objetivo estimar a quantidade de carbono orgânico no solo, atributos químicos do solo sob povoamentos de Pinus taeda e avaliar a relação destes com parâmetros dendrométricos e produtividade de Pinus taeda. O estudo foi realizado no Planalto Catarinense, em sítios localizados em quatro fazendas distribuídas em cinco municípios. Os tipos de solos foram Nitossolo Vermelho alumínico húmico, Neossolo Litólico húmico típico, Cambissolo Húmico alumínico típico, Cambissolo Háplico alítico típico, Gleissolo Háplico alítico típico e Cambissolo Húmico distrófico típico. Em cada sítio foram analisados perfis até o substrato rochoso ou no máximo até 2 m de profundidade. Foram separados os horizontes pedogenéticos, realizada a descrição geral e coletadas as amostras para as análises químicas, determinação da densidade e de carbono orgânico do solo. Os estoques de carbono orgânico do solo, nos diferentes sítios foram diferentes entre os sítios. As maiores quantidades de carbono orgânico foram encontradas nas camadas de 0-20 cm de profundidade, diminuindo a profundidade. O crescimento das árvores foi afetado pelas concentrações de K, Ca e Mg e a soma de bases. 

Downloads

Publicado

2013-06-10