Avaliação da atividade cicatrizante do extrato etanólico da casca da Maytenus rigida Mart. (Celastracea)

A P Lima, N S Leite, E A Camargo, C S Estevam, S M Pantaleão, R P. M. Fernandes, S K. P. Costa, M N Muscará, Sara M Thomazzi

Resumo


A Maytenus rigida Mart., conhecida popularmente como “bom-nome”, é utilizada na medicina popular para o tratamento de processos inflamatórios e dolorosos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a possível ação cicatrizante, bem como anti-inflamatória tópica, do extrato etanólico (EE) da casca da M. rigida, no modelo de ferida e cicatrização cutânea. Observamos que a administração tópica, 2 vezes ao dia, do EE da M. rigida não foi capaz de aumentar a tensão de abertura das cicatrizes, nem diminuir a atividade de mieloperoxidase (MPO) e infiltrado celular, após 48 h da indução da ferida. Concluímos que o EE da casca não possui atividades cicatrizante ou anti-inflamatória tópica no modelo experimental de cicatrização cutânea utilizado.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.