Variabilidade Genética de Linhagens de Zymomonas mobilis UFPEDA pelo Sequenciamento do Gene 16S rDNA

Autores

  • Luís Cláudio Nascimento da Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • Ana Lygia dos Santos Câmara Universidade Federal de Pernambuco
  • Louise Melo de Souza Oliveira Universidade Federal de Pernambuco
  • Janete Magali de Araújo Universidade Federal de Pernambuco
  • Janete Magali de Araújo Universidade Federal de Pernambuco
  • Márcia Vanusa da Silva Universidade Federal de Pernambuco

Palavras-chave:

Zymomonas mobilis, 16S DNAr, técnicas moleculares

Resumo

Tradicionalmente diversas técnicas fenotípicas são aplicadas para caracterizar bactérias, entretanto, os avanços nas técnicas moleculares têm possibilitado maiores índices de especificidade e confiabilidade. Nesse caso, a maioria dos métodos utilizados compreende a aplicação de PCR (polymerase chain reaction) estudando marcadores moleculares, dentre eles se destaca o gene 16S rDNA, devido sua elevada conservação intraespecífica. Zymomonas mobilis tem atraído considerável interesse devido à sua elevada aptidão biotecnológica. A variabilidade genética em 7 linhagens de Zymomonas mobilis UFPEDA foi analisada através do sequênciamento e perfil de restrição do gene 16S rDNA. Cada linhagem foi cultivada em meio SSDL por 24 horas à 30º para extração de DNA. As reações de PCR foram realizadas com iniciadores e condições específicas para a amplificação do gene 16S rDNA. Os fragmentos obtidos foram sequenciados e analisados com os programas BLASTn e MultAlin. Os perfis de restrição teórico das endonucleases de restrição Hae III, NdeII e StuI foram gerados a partir do DistinctiEnz. Por fim, foi construído um cladograma através do programa ClustalW pelo método de neighbor-joining. Nossos resultados mostram o grau de conservação do gene 16S rDNA de linhagens de Z. mobilis UFPEDA, sendo possível observar diversos eventos de mutações pontuais, responsáveis pelo diferente padrão de clivagem entre as linhagens UFPEDA e as linhagens das coleções européias, não sendo possível subtipar as primeiras por esta técnica. Nosso trabalho evidencia diferenças genéticas nas linhagens UFPEDA que devem ser relacionadas com o padrão fisiológico visando aprimorar a aptidão biotecnológica dessa coleção. 

Downloads

Publicado

2013-09-24